‘Praças’ prontas e à espera de foliões

Na programação de Minas e no Nordeste, atrações para todos os gostos

iG Minas Gerais | Paula Coura |

História. Desenho de Jean- Baptiste Debret (1768-1848) mostrando a brincadeira do entrudo entre os escravos
Reprodução de Jean-Baptiste Debret
História. Desenho de Jean- Baptiste Debret (1768-1848) mostrando a brincadeira do entrudo entre os escravos

"E quem não quer o Carnaval por toda a vida, o tempo inteiro? É claro que quero tudo isso”... Tal como os versos de Gonzaguinha, milhões de foliões esperam ansiosos pela folia que, segundo a história, começou na época do Brasil Colônia.

Uma das primeiras manifestações carnavalescas, segundo estudiosos, foi o entrudo, uma festa de origem portuguesa praticada por escravos. Eles saíam pelas ruas com seus rostos pintados, jogando farinha e bolinhas de água de cheiro – nem sempre com odor agradável – nas pessoas. Era um momento de brincadeiras, e as moças das famílias tradicionais ficavam nas janelas jogando águas nos foliões – que até hoje ainda gostam muito de levar uma banho de mangueira durante a festa.

Renascendo

Séculos depois, a festa popular ainda arrasta milhões de pessoas para as ruas, para pular, desfilar, cantar, extravasar. Em 2015, a capital mineira promete ter um dos maiores Carnavais que a cidade já promoveu. Deverão desfilar pelas ruas de Belo Horizonte mais de 200 blocos e são esperados 1,5 milhão de espectadores.

Já em Ouro Preto, mais de 80 mil pessoas circularam pela cidade durante o Carnaval de 2014, número que deve ser similar neste ano. Por lá, os foliões vão em busca das “festas republicanas” – na cidade há cerca de 400 repúblicas – , fazendo com que o clima estudantil deixe a festa ainda mais animada. Desfiles de bandas tradicionais, como Zé Pereira dos Lacaios, com mais de 140 anos de tradição, incrementam os festejos.

Nordeste

O Carnaval de Salvador começa seis dias antes da Quarta-Feira de Cinzas. Os foliões festejam em três principais circuitos: Dodô (Barra-Ondina), Osmar (Campo Grande-Avenida Sete) e Batatinha (Centro Histórico). Sem contar a galera da Pipoca, que vai junto, sem abadá.

Em Recife, a folia neste ano terá 63 polos de animação e mais de mil shows. As principais atrações são o Rappa, Titãs, Lenine, Alceu Valença, Elba Ramalho, Marcelo Jeneci, Diogo Nogueira e Nando Reis.

Rio de Janeiro

No ano  em que a Cidade Maravilhosa completa 450 anos a festa carnavalesca é ainda maior. Os ingressos para a maioria dos bailes particulares, como o do Copacabana Palace, oscilam em torno de R$ 200 a R$ 300. Acompanhar os ensaios das escolas que passarão na Marquês de Sapucaí custa entre R$ 30 e R$ 50.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave