Evento em BH orienta população sobre riscos da automedicação

Ação da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag) orientou moradores na região Centro-Sul de BH

iG Minas Gerais | CINTHIA RAMALHO |

Cidades - Belo Horizonte - MG
Farmaceuticos vao fazer acao de conscientizacao sobre perigos da automedicacao

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 24.01.2015
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Cidades - Belo Horizonte - MG Farmaceuticos vao fazer acao de conscientizacao sobre perigos da automedicacao FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 24.01.2015

A automedicação é uma realidade em todo o Brasil. Segundo a Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag) em Minas Gerais, cerca de 80 milhões de pessoas tomam remédios por conta própria. O número representa 40% das internações por intoxicação no país. Em Belo Horizonte, segundo o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, foram realizados 999 atendimentos a pacientes com algum tipo de intoxicação por uso de remédios, nos últimos dois anos. Em 2015, segundo o hospital, cerca de 30 pacientes que se automedicaram buscaram por atendimento na unidade.

Para tratar uma cólica, a jornalista Raquel Andretto, 24, resolveu agir por conta própria e tomar um remédio a base de ácido acetilsalicílico. O que ela não sabia, é que era alérgica à substância e, ao ingeri-la sem orientação de um profissional, acabou tendo complicações. “Fiquei com olho inchado e toda empolada. Depois disso, sempre que preciso tomar remédio que não precisa de prescrição médica, procuro um farmacêutico para saber se o medicamento não é composto por alguma substância que possa me causar alergia”, conta.

Para evitar casos como o de Raquel, a Anfarmag realizou, na manhã deste sábado (24), na praça Juscelino Kubitschek, na região Centro-Sul da capital, uma ação para conscientizar a população sobre automedicação. A atividade também foi uma forma escolhida pela associação para lembrar o dia do farmacêutico, comemorado em todo o país no dia 20 de janeiro. “Esta atividade visa à valorização dos farmacêuticos, pois ele é o profissional de saúde mais próximo da população”, disse Andrea Vilela, presidente da Anfarmag.

Durante toda a manhã, os belo-horizontinos puderam levar seus medicamentos com a receita a um estande montado na praça. Lá, eles receberem orientações dos farmacêuticos e puderam esclarecer dúvidas. “Quem nuca tomou um remedinho para dor de cabeça por conta própria? Eu, por exemplo, sempre faço isso. Acho importante ações como essa para que as pessoas conheçam o perigo da automedicação”, afirmou Sueli Coelho, 67, autônoma.

Segundo Andrea Santos, presidente da associação, tomar remédios por conta própria pode trazer vários prejuízos à saúde da população. “Se a pessoa toma um remédio sem orientação, ela corre o risco de sofrer um efeito colateral e, inclusive, desenvolver uma nova doença. Além disso, a automedicação pode mascarar os sintomas de uma doença grave, que vai demorar a ser descoberta e tratada”, ressaltou.

Recomendações

-Segundo a Anfarmag, os pacientes devem ficar atentos à data de validade dos medicamentos. -Antes de repetir qualquer tratamento, o paciente deve procurar um médico. Além disso, não é indicado alterar a forma de tomar o remédio, aumentando a dosagem ou o número de vezes ao dia em que ele é ingerido -Se o paciente apresentar sintomas inesperados ao tomar um medicamento, ele deve procurar ajuda de um médico ou um farmacêutico -De acordo com a Anfarmag, cada pessoa reage de forma diferente a um medicamento, por isso, não é recomendado que o paciente empreste ou receite um remédio para parentes e amigos.

Leia tudo sobre: automedicação80 milhões