Fifa perde outros três grandes patrocinadores

Castrol, Continental e Johnson&Johnson cessaram a parceria que tinham com a federação esportiva

iG Minas Gerais |

Thierry Weil, diretor de marketing da Fifa, amenizou as perdas
EDSON RUIZ/ESTADÃO CONTEúDO - 04.12.2013
Thierry Weil, diretor de marketing da Fifa, amenizou as perdas

Zurique, Suíça. Envolvida em casos de corrupção, a Fifa perdeu mais três importantes patrocinadores. Depois de Sony e Emirates, Castrol, Continental e Johnson & Johnson informaram que não vão renovar o contrato com a entidade para patrocinar a Copa de 2018, na Rússia.

Essas três empresas estavam entre as oito parceiras de segunda linha da Fifa que pagaram coletivamente US$ 524 milhões para patrocinar o Mundial de 2014, no Brasil. Em um comunicado ontem, o diretor de marketing da entidade, Thierry Weil, disse que a saída desses patrocinadores faz parte dos negócios. “A rotação no final de um ciclo de patrocínios é comum na indústria do esporte. É natural que as marcas reavaliem as suas propriedades de patrocínio”, afirmou.

A Fifa se viu envolvida em casos de corrupção nos últimos anos. As vitórias de Rússia e Catar para sediar os Mundiais de 2018 e 2022, respectivamente, estão em dúvida desde 2010. Em novembro de 2014, a entidade apresentou uma denúncia à Justiça suíça contra cartolas que podem ter recebido propina no processo de escolha das sedes dos dois Mundiais.

No mesmo mês, a árabe-americana Phaedra Al-Majid, ex-dirigente do comitê da candidatura do Catar à Copa de 2022, afirmou que testemunhou a oferta de dinheiro para membros da Fifa, além de lobby e acordos para influenciar a escolha da sede do Mundial.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave