Só vai chover metade do previsto

ONS começou o ano estimando 90% da média histórica de chuvas para janeiro e anunciou 43%

iG Minas Gerais |

São Paulo. A expectativa de chuvas para as regiões Sudeste e Centro-Oeste continua pessimista. Em apenas um mês, as projeções caíram para menos da metade (48%). No início de janeiro, o Operador Nacional do Sistema (ONS) divulgou estimativa de que choveria 90% da média histórica na região. Ontem, o relatório elaborado pelo ONS apontava que a energia natural afluente (ENA) no subsistema Sudeste/Centro-Oeste deve encerrar o mês com o equivalente a 43% da média de longo termo (MLT).

O número é inferior ao dado oficial de 44% projetado na semana passada, para o mês de janeiro.

O mesmo relatório preliminar mostra que a percepção do ONS para o acumulado de janeiro não teve mudanças destacáveis em relação ao material divulgado uma semana atrás.

A única região com previsão de chuvas fortes é o Sul. A previsão de ENA estava em 222% da média de longo termo na semana passada e hoje está em 213%.

No restante do país, as expectativas pioraram. No caso da região Nordeste, o número foi ajustado de 27% da média na semana passada para atuais 26%. No Norte, a revisão foi de 63% para 62% da média.

Já por bacias, os números detalhados mostram algumas situações preocupantes. O índice previsto para a bacia do Jequitinhonha está em apenas 9% da média histórica de janeiro. A bacia do São Francisco tem índice esperado para apenas 25% da média. No início do mês, as previsões do ONS para as duas regiões indicavam índices equivalentes a 79% e 61% da média histórica, respectivamente.

“Estamos vivendo sim uma situação absolutamente sensível do ponto de vista do cenário de chuva e do que vem acontecendo, em particular, no Sudeste brasileiro, que é uma situação completamente atípica”, afirmou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

CAntareira. Em São Paulo, apesar das chuvas dos últimos dias, o sistema Cantareira, que abastece 6,2 milhões de consumidores, ainda não começou a se recuperar. Ele foi o único dos seis que servem a região metropolitana de São Paulo que não subiu seu nível de água nesta sexta-feira (23), segundo boletim divulgado pela Sabesp.

O sistema agora opera com 5,3% de sua capacidade, já contando o uso de duas cotas da reserva conhecida como volume morto. O nível é 0,1% menor que o de quinta-feira (5,4%).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave