Câmara diz que não gastou nada com ônibus

iG Minas Gerais | Humberto Santos |

Câmara informou que o projeto existe mesmo sem o ônibus
LEO FONTES / O TEMPO - 02/01/09
Câmara informou que o projeto existe mesmo sem o ônibus

Um dia após O TEMPO publicar que o presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, Wellington Magalhães (PTN), pretende extinguir o projeto da “Câmara Itinerante”, a assessoria da Casa respondeu aos questionamentos sobre os gastos com o ônibus.

 

Segundo a assessoria, o projeto já existia antes do ex-presidente Léo Burguês (PTdoB) propor utilizar um ônibus para realizar as atividades. A doação do ônibus para a Câmara não foi concretizada, e os serviços licitados para equipá-lo não foram contratados. Ou seja, segundo a assessoria, não houve gastos com o ônibus. Já sobre a licitação de combustíveis, embora tenha sido licitada a contratação de 5.000 litros de álcool, a Câmara não utilizou um litro do combustível. Em relação à gasolina os 8.000 litros, ao custo de R$ 24.038,47, foram utilizados. Sobre a retirada do diesel do edital em 2015, a Câmara informou que “havia expectativa de utilização de um veículo movido a diesel a partir do ano de 2013, mas isso não se concretizou”.   Quanto à diminuição da distância dos postos para o prédio da Câmara, a assessoria informou que a medida “visa diminuir longos trajetos que poderiam mascarar ou mesmo anular eventuais vantagens de preço” obtidos na licitação. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave