McDonald’s revela ingredientes de sua famosa batata frita

Delícia é feita com 19 substâncias, entre batatas, gorduras e conservantes

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Visita. Grant Imaha foi à fábrica de batatas do McDonald’s para descobrir os segredos da guloseima. Lá, ele acompanhou todo o processo de produção, de descascar até congelar as batatinhas
Photographer:Ricardo de Vicq
Visita. Grant Imaha foi à fábrica de batatas do McDonald’s para descobrir os segredos da guloseima. Lá, ele acompanhou todo o processo de produção, de descascar até congelar as batatinhas

Pela primeira vez, desde sua fundação, em 1955, a famosa cadeia mundial de fast-food McDonald’s revelou a lista de ingredientes de suas batatas fritas. São 19, sendo que o primeiro deles – para alívio de quem ainda duvida que elas realmente são naturais – é “batatas”. Alguns ingredientes, como o óleo de soja, aparecem duas vezes, e são contados como dois ingredientes diferentes pela rede.

A revelação foi feita em um vídeo apresentado pelo “caçador de mito” Grant Imahara, que visitou a fábrica de beneficiamento das batatas e mostrou todo o processo de produção.

No vídeo, Imahara descobre que as batatas saem das fazendas e vão para as fábricas, onde são descascadas e cortadas em pedaços de tamanho igual. Depois, passam por um processo de branqueamento para, então, ganharem um “banho de molhos”. Nessa etapa, elas sofrem uma pré-fritura com mais de um tipo de óleo vegetal.

Em seguida, as batatinhas recebem um jato de açúcar para conservarem aquele tom dourado característico. Então, são congeladas e enviadas para as lojas, onde são fritas novamente (veja o infográfico).

Nem tudo, porém, são flores (ou tubérculos). Dentre os ingredientes das batatinhas, há alguns conservantes e antioxidantes que levantam polêmica. Um exemplo é o terc-butil-hidroquinona (TBHQ), um antioxidante derivado do petróleo. Nos EUA, a Food and Drug Administration (FDA), órgão que regulamenta alimentos e drogas, estabelece que o total de TBHQ não pode ultrapassar 0,02% do total de óleo ou gordura do alimento. No Japão, a substância é proibida, e pesquisas com animais mostraram uma relação entre o consumo do antioxidante e o aparecimento de câncer.

Para o autor e ativista Michael Pollan, que dá aulas na Universidade Berkeley, na Califórnia, as batatas do McDonald’s não deveriam ser consumidas.

“As batatas do tipo ‘Russet Burbank’ são difíceis de cultivar nos EUA, e elas costumam sofrer uma praga que causa manchas e linhas indesejadas. A única forma de eliminar isso é pelo uso de um pesticida chamado metamidofós, tão tóxico que os fazendeiros que cultivam essas batatas não saem nos campos por cinco dias depois que aplicam o produto”, explica.

No Brasil, o McDonald’s garante que as batatas levam apenas substâncias “comuns e seguras”. “O óleo usado em nossas frituras é de origem vegetal, o que faz com que as McFritas sejam livres de gordura trans. Para ficarem crocantes por fora e macias por dentro, nossas McFritas são compostas por batata, uma mistura de óleos vegetais não hidrogenados, dextrose e difosfato dissódico (um estabilizador)”, informou a marca por meio de nota. Receita dos nuggets é menos química 

Em outro vídeo, o engenheiro eletricista e apresentador do programa “Caçadores de Mitos” Grant Imahara vai até uma fábrica de beneficiamento dos McNuggets, salgadinhos à base de frango vendidos no McDonald’s.

Na fábrica, ele descobre que somente o peito do frango e um pouco de pele são usados na produção dos nuggets. Uma enorme fileira de funcionários separa o peito das demais partes, e a carne branca vai para um moedor.

Depois, é acrescentada a pele também moída e maionese. O resultado final é bem diferente de uma imagem que circula na internet, que mostra um preparado mais parecido com sorvete do que com carne de frango.

Mas a preparação dos nuggets, como as batatas, não leva só ingredientes naturais. Na lista completa das substâncias, disponível no site do McDonalds, constam espessantes, como fosfato de sódio e realçadores de sabor, como extrato de leveduras autolisado. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave