Mais mobilidade ao décor

Ambientes ganham um mobiliário bem solto e totalmente descompromissado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

Além de as peças ganharem mais visibilidade nos cenários da casa, essa desconstrução faz com que a estética fique bastante valorizada conforme o lugar que as peças decorativas ocupam. A proposta pode parecer um pouco inusitada, principalmente por preencher os cômodos da casa de maneira simples e um pouco fora do comum, mas os profissionais garantem que o resultado é de um ambiente com mais mobilidade, charmoso e que transmite uma essência bem despojada.

“Neste caso, a proporção é muito importante. Composições, sejam elas de quadros, peças decorativas ou livros, devem ser estudadas de forma a criar um conjunto proporcional, harmônico. O apoio dessa composição vai depender de cada morador. Em geral, pessoas mais jovens estão mais abertas a propostas não convencionais, apoiados no chão, ou em móveis diversos”, afirma a arquiteta Marina Dubal. “A disposição do objeto com relação aos outros móveis e complementos especificados no espaço também deve ser levada em consideração”, acrescenta a arquiteta Virgínia Reis.

Já que os objetos e adornos não ficam estáticos ou fixados em paredes, os profissionais não se prendem a um só estilo, e, com isso, a possibilidade de atender os anseios dos moradores se torna ainda mais possível. “É um recurso que utilizo muito em meus projetos pela liberdade que ele confere ao morador de mudar a composição conforme deseja. Além disso, ao não fixar o objeto, não danifico o ambiente. Por exemplo, em alguns projetos temos quadros encostados no espelho e outros no painel laqueado. Se fossem fixados não seriam possíveis essas composições”, afirma Virgínia.

Para a arquiteta e designer de interiores Natália Noleto, não existem regras para posicionar quadros. O charme mesmo é usar a criatividade e o bom senso para deixar o espaço com equilíbrio e harmonia. “Para peças grandes acho interessante a proposta de ter quadros apenas apoiados no chão. Ideia legal, inclusive, para quem aluga apartamento e não tem muita certeza se pode fazer furos nas paredes. Lembra bastante os conceitos dos lofts nova-iorquinos da década de 90. Essa escolha dá um ar de ateliê ao espaço”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave