Deputado teria recebido R$ 159 mil

iG Minas Gerais |

Brasília. O juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na Justiça Federal do Paraná, encaminhou ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, indícios do envolvimento do deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) no esquema de lavagem de dinheiro e desvios na Petrobras.

Os indícios foram descobertos pela Polícia Federal (PF) durante a análise do sistema de contabilidade paralela do Posto da Torre, em Brasília, do doleiro Carlos Habib Chater. Réu na Lava Jato, Chater é acusado de utilizar o seu negócio para lavar dinheiro e distribuir propinas a políticos indicados pelo doleiro Alberto Youssef.

Ao analisar a contabilidade, peritos da PF identificaram uma movimentação total de R$ 159 mil nas contas do posto registradas em nome de Nelson Meurer entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009. Diante disso, a PF informou o juiz Sérgio Moro, que decidiu encaminhar o laudo ao Supremo para que avalie as medidas a serem tomadas.

Nelson Meurer foi citado na delação do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como um dos 28 políticos beneficiários do esquema de propinas na estatal. O PP tem papel de protagonista no escândalo, segundo a investigação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave