Confronto e bombas voltam a marcar ato contra tarifa

Mais cedo, os manifestantes decidiram, em assembleia, que o protesto seguiria apenas por vias da região central da capital paulista e de forma pacífica

iG Minas Gerais | Folhapress |

Já no caminho para o fim, o quarto ato contra o aumento das passagens na região central de São Paulo voltou a ser marcado por confronto e violência. Segundo a PM (Polícia Militar), cerca de 1.200 manifestantes realizam a manifestação na noite desta sexta-feira (23).

A PM usa bombas de efeito moral e dispara balas de borracha. Não há informação do que teria causado a ação. Ao menos dois manifestantes ficaram feridos. Um deles teve um ferimento com sangramento na cabeça.

Mais cedo, os manifestantes decidiram, em assembleia, que o protesto seguiria apenas por vias da região central da capital paulista. O percurso passa pela prefeitura, secretaria estadual de Transportes, Câmara Municipal e praça da República.

Esse é o quarto protesto promovido pelo MPL desde o último reajuste das passagens de ônibus, metrô e trem, ocorrido em 5 de janeiro.

Os dois primeiros aconteceram no centro e terminaram em confronto, vandalismo e bombas de gás. O terceiro, realizado na última terça-feira (20), na zona leste, foi o único sem confronto direto, apesar de ter ocorrido um tumulto em uma estação do metrô após a dispersão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave