Leitores flagram lavagem de edifício de 14 andares no Funcionários

O TEMPO recebeu diversas imagens do desperdício de água exatamente um dia após anúncio da Copasa pedindo economia da população

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Moradores e trabalhadores do bairro se revoltaram com o descaso do edifício
DEBORAH ARDUINI / WEB REPÓRTER
Moradores e trabalhadores do bairro se revoltaram com o descaso do edifício

Um dia após a Companhia de Saneamento do Estado de Minas Gerais (Copasa) anunciar que os reservatórios operam com cerca de 30% e pedir economia da população, moradores e trabalhadores do bairro Funcionários, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, ficaram revoltados ao perceber que um edifício de 14 andares fazia a limpeza da fachada usando água. 

A jornalista Deborah Arduini, de 30 anos, trabalha em frente ao edifício Tâmisa - que faz referência ao principal rio que corta a cidade de Londres, na Inglaterra - que fica na rua Cláudio Manoel. "O pessoal reparou que um funcionário estava com a mangueira ligada lavando a parede externa do prédio. Ficou cerca de 1h fazendo o serviço", denunciou. 

Ainda de acordo com a mulher, colegas de trabalho chegaram a ligar no condomínio e falar com a síndica, que disse apenas que o serviço já estava pago e, por isso, decidiram não cancelar a lavagem. Outras três pessoas indignadas com a medida do prédio também enviaram fotos à reportagem de O TEMPO.

"Faltou um pouco de bom senso. Exatamente no primeiro dia em que a população está assustada com a crise de água e continuar fazendo isso? Cada um tem que fazer sua parte", lamentou Deborah.

A reportagem entrou em contato com o edifício Tâmisa, que repassou o contato da síndica do prédio, identificada apenas como Jaciane. Entretanto, não foi possível localizar a responsável por contatos telefônicos.