Brasil vence Chile de virada e avança no Mundial masculino de handebol

Brasileiros fizeram sua pior partida neste Mundial do Qatar, mas mantiveram vivo p sonho de chegar pela primeira vez às quartas

iG Minas Gerais | Folhapress |

Chile nunca venceu o Brasil em grandes competições
CBHB/divulgação
Chile nunca venceu o Brasil em grandes competições

O Brasil venceu o Chile nesta sexta-feira (23), por 30 a 22, passou de fase na quarta colocação do Grupo A e, agora, enfrenta a Croácia, no domingo (25).

O jogo das oitavas de final contra os medalhistas de bronze no último Mundial (Espanha-2013) e na última Olimpíada (Londres-2012) ainda não tem horário definido. Brasil e Chile abriram a rodada final da primeira fase do Mundial e os outros confrontos ainda não estão definidos.

Contra os chilenos, na Arena Lusail, os brasileiros fizeram sua pior partida neste Mundial do Qatar, com um primeiro tempo apático, repleto de erros em um duelo de baixo nível técnico.

Após dez minutos do primeiro tempo, a seleção brasileira perdia por 5 a 2 de uma equipe que não vencera nenhuma partida sequer no Qatar.

O técnico espanhol do Brasil, Jordi Ribera, precisou pedir tempo logo para tentar acertar o time, mas não adiantou. As jogadas brasileiras não encaixavam, mesmo contra uma equipe inferior fisicamente -um dos problemas brasileiros quando enfrenta os rivais europeus. 

Passados 20 dos 30min do primeiro tempo, o Brasil ainda não tinha liderado o placar nem sequer uma vez. Nem mesmo a expulsão de um chileno melhorou a situação brasileira.

Aos 21min, o armador Frelijj acertou uma cotovelada no brasileiro Zeba e foi expulso. Assim o Chile ficou dois minutos com um jogador a menos, mas Frelijj, que já tinha dois gols, não pode mais voltar ao jogo. Mesmo assim o Brasil continuava um gol atrás no placar.

O terrível primeiro tempo brasileiro, então, terminou em vitória do Chile por 13 a 12. Foi a primeira vez no Qatar que os chilenos acabaram os primeiros 30 minutos de jogo à frente do adversário. Alçada a terceira força do continente na última década, atrás também da Argentina, o Chile nunca venceu o Brasil em grandes competições.

Em junho, no Pan-Americano que garantiu vagas a ambas seleções no Mundial do Qatar, o Brasil venceu o Chile na semifinal por 36 a 28. Depois, a seleção perderia a decisão para os argentinos. Vale lembrar também que, em duas participações em Mundiais (22º, em 2011, e 23º, em 2013), os chilenos venceram apenas dois jogos no campeonato (ambos contra a Austrália, lanterna dos torneios).

Por esses motivos todos, a virada (15 a 14) do Brasil apenas aos 2min do segundo tempo, mostram que o time precisa jogar muito melhor para continuar sonhando em chegar pela primeira vez nas quartas de final de um Mundial.

Em 2013, o Brasil caiu nas oitavas de final, frente a Rússia, e ficou na 13ª colocação (melhor resultado da história da equipe masculina em um Mundial). A meta da seleção no Qatar sempre foi superar esta posição.

A pequena melhora da equipe no segundo tempo contra os chilenos pode ser atribuída a atuações mais destacadas dos armadores Valadão, Zeba e, principalmente, João, o mais novo do elenco, com 20 anos. O capitão Zeba foi o artilheiro do jogo, com sete gols.

Mas, vantagem mesmo no placar, com dois ou mais gols de diferença, o Brasil abriu apenas nos sete minutos finais. Neste Mundial, além do Chile, o Brasil venceu Belarus (por isso levou vantagem no critério de desempate contra a equipe europeia e passou de fase), mas perdeu para Qatar, Espanha e Eslovênia, todos classificados às oitavas. Os chilenos perderam todos os jogos.

Leia tudo sobre: mundialhandeboldohacatarbrasilchileseleção brasileira de handebol