Gilvan explica venda de Lucas Silva e garante reposição do mesmo nível

Presidente do Cruzeiro disse que venda está em fase final depois de Real chegar ao valor pedido; atleta teria pedido para ir à Espanha

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães e Débora Ferreira |

Melhor volante do Brasileirão, Lucas Silva também falou sobre a proposta de transferência para o Real Madrid
RAFAEL RIBEIRO/ CBF
Melhor volante do Brasileirão, Lucas Silva também falou sobre a proposta de transferência para o Real Madrid

Cruzeiro e Real Madrid devem selar nesta sexta-feira a transferência do jovem volante ao clube espanhol. O presidente Gilvan afirmou, em entrevista coletiva, que a negociação está em fase final após a equipe merengue chegar ao valor estipulado pela Raposa, que era de 15 milhões de euros (algo em torno de R$ 43 mi), e o jogador demonstrar a vontade de sair.

“A negociação do Lucas Silva está bem adiantada, em fase de concretização. Possivelmente, hoje, a gente finaliza. (Eles) Chegaram aos valores que o Cruzeiro pleiteava. O atleta fez uma pressão grande junto com seu empresário para que a gente liberasse. Não era vontade da diretoria liberar nenhum dos seus atletas. O Cruzeiro é vitrine e os jogadores acabam vistos no estrangeiro. O sonho dos atletas é ser vendido para um grande clube no futebol mundial, ter mais prestígio, ficar famoso, ainda mais sendo negociado para um clube da grandeza do Real Madrid, o clube mais rico do mundo”, afirmou o presidente celeste.

A princípio, a Raposa colocaria no bolso um percentual não tão alto com a venda do jogador, já que seus direitos são fatiados. O próprio volante possuía 10%, que de acordo com Gilvan, foi cedido ao clube. A Raposa era detentora de 30%, mas negociou com os investidores para ter um retorno maior com a transação.

“Realmente é um percentual pequeno (que o clube tinha). O Cruzeiro tem nos investidores dos atletas parceiros do Cruzeiro. Chamamos os parceiros e renegociamos com esses parceiros. O percentual do Lucas será grande, pois os parceiros concordaram em repor parte dos percentuais, já que essa reposição vem desde lá de trás, antes de assumirmos. Conversamos, eles entenderam a situação do clube, do atleta. O próprio atleta, para ser vendido, cedeu o percentual dele para o clube. Não vamos dizer quanto é o percentual, mas os parceiros foram bons para o Cruzeiro”, disse Gilvan.

Sem um substituto até o momento, o dirigente garantiu à torcida que fará uma reposição rápida – como fez com Ricardo Goulart ao trazer Riascos e Arrascaeta -, e que o atleta estará à altura do que saiu.

“Uma coisa os torcedores podem ter certeza: a nossa promessa, para com eles, vai ser mantida. Toda a receita do time com a venda de atletas, com bilheteria, com programa do sócio, será revertido para o plantel. Iremos atrás de atletas do nível do Arrascaeta, para cobrir lacunas da saída de atletas. O Goulart saiu, mas trouxemos Damião, Joel, Riascos e o De Arrascaeta para cobrir essa lacuna e vamos atrás de outros jogadores. Se mais jogadores saírem, vamos buscar outros de mesmo nível para que o plantel se reforce ainda mais”, garantiu.

Leia tudo sobre: cruzeirofutebolgilvanvendalucas silvareal madridnegociaçãoparceirosinvestidorestorcidasubstituição