Sada Cruzeiro se despede de Campinas e já pensa na Superliga

Time lamentou falhas cometidas contra Taubaté; resultado impediu final de número 18 em 20 competições disputadas nos últimos seis anos

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

ESPORTES - CAMPINAS SP - BRASIL - 22.1.2015 - COPA BRASIL DE VOLEI - Partida entre SADA CRUZEIRO X TAUBATE no Ginasio Taquaral em Campinas SP.
Foto: Douglas Magno / O Tempo
douglas magno
ESPORTES - CAMPINAS SP - BRASIL - 22.1.2015 - COPA BRASIL DE VOLEI - Partida entre SADA CRUZEIRO X TAUBATE no Ginasio Taquaral em Campinas SP. Foto: Douglas Magno / O Tempo

Com a cabeça mais fria, o Sada Cruzeiro deixou Campinas, sede da fase decisiva da Copa Brasil, ainda na manhã desta sexta-feira. Depois de perder para o Funvic-Taubaté-SP na noite anterior, por 3 a 1, pela semifinal do torneio, o time celeste arrumou as malas e voltou para casa, sabendo que poderia ter tido um melhor desempenho.

“Falhamos muito na parte ofensiva, pecamos neste aspecto. Criamos chances e desperdiçamos. Em um jogo de alto nível, se você não define, será castigado. Deixar de aproveitar oportunidades é mortal. Nós não concluímos bem, eles sim e por isso levaram a melhor”, resume o levantador William.

Para ‘El Mago’, o jogo foi parelho, mesmo com sua equipe não rendendo o que a torcida se acostumou a ver. “Pelas parciais (26/24, 26/24, 17/25 e 25/23), a vitória poderia ir para qualquer um dos lados. Os dois times têm características parecidas, com saque forte. Nossa linha de recepção não foi tão bem em alguns momentos, até pela potências dos serviços deles. Mas ainda acredito que o aproveitamento ofensivo abaixo da média definiu. Quando isso acontece, não tem jeito mesmo”, lamenta o armador.

Menos mal. Apesar de já estar garantido no Sul-Americano, o Sada Cruzeiro, atual campeão da Superliga e da Copa Brasil, e também do torneio continental, não escondeu a vontade de levar mais um caneco para casa. Seria o título de número 15 em 20 torneios disputados, onde 17 finais foram alcançadas até aqui, deixando clara a hegemonia do time no cenário brasileiro e sul-americano.

“Apesar de já estarmos garantidos, queríamos esta conquista. Estamos acostumados com a primeira posição e fomos atrás disso. Mas nem em todos os dias as coisas vão sair como esperamos. Do outro lado tinha uma excelente equipe, com a base da seleção brasileira, que fez bem seu papel. Foi um jogo duro, não deu desta vez”, completa o levantador.

A terceira posição ficou com o Minas Tênis Clube, que teve melhor resultado no jogo anterior às semifinais ao vencer o Vôlei Canoas por 3 a 1.  Para chegar nas semis, o Sada precisou de cinco sets para passar pela UFJF. 

Na quinta-feira, o time azul volta a jogar, dentro de casa, contra o Ziober-Maringá-PR. A sequência reserva compromissos seguidos no sábado, contra o São Bernardo Vôlei, em São Paulo e na segunda-feira, fora, contra o Vôlei Canoas-RS.

Leia tudo sobre: sada cruzeirovoleieliminadocopa brasilfinalsuperliga