Lobista era bem relacionado entre políticos e empresários

Em depoimento prestado à PF, ex-diretor Paulo Roberto Costa afirmou que Fernando Baiano tinha jeito articulado e era próximo de muitos políticos de todos os partidos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

PR - LAVA JATO/PETROBRAS - POLÍTICA - O empresário Fernando Antonio Falcão   Soares, o Fernando Baiano , chega ao Instituto   Médico Legal (IML) de Curitiba(PR), onde o   fará exame de corpo de delito. Ele se   entregou na tarde da última terça-feira à   Polícia Federal no Paraná, informou seu   advogado, o criminalista Mário de Oliveira   Filho. Apontado como lobista e operador do   PMDB no esquema de propinas e corrupção   na Petrobras, Fernando Baiano estava   foragido desde sexta-feira, 14, quando   policiais federais realizaram busca em sua   residência, no Rio de Janeiro.    19/11/2014 - Foto: GERALDO BUBNIAK/AGB/ESTADÃO CONTEÚDO
GERALDO BUBNIAK/AGB/ESTADÃO CONT
PR - LAVA JATO/PETROBRAS - POLÍTICA - O empresário Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano , chega ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba(PR), onde o fará exame de corpo de delito. Ele se entregou na tarde da última terça-feira à Polícia Federal no Paraná, informou seu advogado, o criminalista Mário de Oliveira Filho. Apontado como lobista e operador do PMDB no esquema de propinas e corrupção na Petrobras, Fernando Baiano estava foragido desde sexta-feira, 14, quando policiais federais realizaram busca em sua residência, no Rio de Janeiro. 19/11/2014 - Foto: GERALDO BUBNIAK/AGB/ESTADÃO CONTEÚDO

Acusado de ser o operador do PMDB nos esquemas de corrupção da Petrobras, o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, também fazia parte dos ciclos de amizades de empresários como Eike Batista e outros partidos, entre eles o PT. As informações, publicadas pelo jornal Estado de S. Paulo, foram confirmadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, durante depoimento prestado à Polícia Federal, em setembro do ano passado.

Segundo ex-diretor, o lobista era próximo do empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Bumlai, conhecido com um dos mais poderosos pecuaristas do país, chegou a ser citado em outros processos envolvendo o PT.

Fernando Baiano também viajava com grande frequência para Brasília, onde estabelecia vínculo com vários políticos. Costa afirmou ainda que jeito articulado permitia que lobista se relacionasse com diferentes empresários.  A amizade com Eike Batista fez com que Baiano o representasse em acordo com empresa espanhola, responsável por parte da construção de porto, em São João da Barra, no Rio de Janeiro.

Ainda segundo jornal paulista, durante depoimento de delação premiada, ex-diretor da Petrobras não soube esclarecer que tipo de atividade o lobista desempenhava no meio empresarial. Entretanto, destacou que ele era "muito rico".

De acordo com o Estado de S. Paulo,  a defesa de Fernando Baiano afirmou que lobista só vai se pronunciar sobre as afirmações de ex-diretor após ter acesso ao depoimento completo.