Sindicato propõe escola própria

A proposta de uma escola seria uma evolução para o sistema de segurança da capital. “A guarda tem funcionamento mais comunitário, o que chamamos de polícia de proximidade

iG Minas Gerais | Jhonny Cazetta |

Como uma das soluções para o problema de treinamento da Guarda Municipal, o sindicato da categoria irá propor à Prefeitura de Belo Horizonte a criação de um curso preparatório próprio da corporação. Nos moldes das academias das polícias Militar e Civil.  

“Acreditamos que o mais interessante é termos um policiamento diferenciado. Seria uma escola própria e com um espaço próprio. Todos teriam muito mais a ganhar. Os guardas e a população”, diz o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Belo Horizonte (Sindibel), Israel Arimar.

Segundo o sindicalista, todos os treinamentos da Guarda até hoje foram feitos em parceria com a Polícia Militar (PM). “A Guarda precisa ser algo diferente do que são as polícias Civil e Militar. Os objetivos são distintos”, afirma Arimar.

A proposta de uma escola seria uma evolução para o sistema de segurança da capital. “A guarda tem funcionamento mais comunitário, o que chamamos de polícia de proximidade. Então, acho muito positivo a criação de uma escola própria, pois eles precisam de um outro tipo de qualificação”, diz o especialista em segurança pública Cláudio Beato. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave