Policial que matou Brown não deve ser indiciado, diz investigação

Autoridades ouvidas pela imprensa americana afirmam que investigação feita pelo FBI não encontrou evidências para acusar suspeito

iG Minas Gerais | Folhapress |

Investigadores federais dos Estados Unidos devem recomendar que o policial responsável pela morte de um jovem negro em Ferguson (Missouri) no ano passado não seja indiciado.

De acordo com autoridades ouvidas pela imprensa americana, uma investigação feita pelo FBI não encontrou evidências para acusar Darren Wilson, 28. O policial matou com sete tiros Michael Brown, 18, que estava desarmado, minutos após o jovem ter roubado cigarros em uma loja de conveniência. De acordo com Wilson, Brown o atacou e tentou roubar sua arma. Os relatos sobre o ocorrido, no entanto, são divergentes.

A morte de Brown, em agosto, e a decisão de um grande júri de não indiciar Wilson, anunciada em novembro, geraram diversos protestos ao redor do país. Mesmo com a conclusão da investigação, a palavra final sobre o arquivamento do caso será dada pelo secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, e a chefe de Direitos Civis de seu gabinete, Vanita Gupta.

A decisão deve ser anunciada nas próximas semanas. É improvável, no entanto, que Holder vá contra a avaliação dos investigadores.

O Departamento de Justiça também está conduzindo uma investigação mais ampla, sobre alegações de atitudes discriminatórias da força policial de Ferguson. O advogado da família de Brown, Benjamin Crump, afirmou que não iria comentar o caso até a divulgação da decisão oficial.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave