Policial que matou surfista havia ingerido álcool

Perícia realizada em Santa Catarina mostra que um dos tiros acertou a vítima pelas costas

iG Minas Gerais |

Ricardo dos Santos foi baleado e morto após discutir com policial
Arquivo Pessoal.
Ricardo dos Santos foi baleado e morto após discutir com policial

FLORIANÓPOLIS. O policial militar Luís Paulo Mota Brentano, 25, preso pela morte do surfista Ricardo dos Santos, 24, o Ricardinho, em Palhoça, na Grande Florianópolis, ingeriu álcool, mas não usou outras drogas antes dos disparos.

A informação consta no laudo divulgado nesta quinta pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) de Santa Catarina. O exame foi realizado às 14h da última segunda-feira, seis horas depois da discussão entre o policial e o surfista na praia da Guarda do Embaú. Àquela hora, Brentano tinha 13 decigramas de álcool por litro de sangue.

O IGP também divulgou laudo que mostra que o surfista foi atingido por dois tiros, e não três, como fora dito pela polícia. Segundo o documento, um dos disparos atingiu o atleta pelas costas. O outro o acertou pelo lado esquerdo do corpo, afetou órgãos como baço, e saiu pelo lado direito.

O diretor do IGP informou que não é possível dizer qual tiro foi disparado primeiro. “O que podemos afirmar é que o tiro que cruzou o corpo foi mais responsável pela morte do surfista”, disse Colzane.

Ricardinho morreu na terça-feira, depois de ser submetido a quatro cirurgias para conter hemorragia. A morte foi lamentada pelos principais surfistas do mundo, como Gabriel Medina, campeão mundial em 2014.

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave