Quatro empresas investigadas já iniciaram o processo de falência

Alumini Engenharia, que já teve o pedido de recuperação judicial aprovado a Fidens, a Jaraguá Equipamentos e a Iesa Óleo e Gás abriram processo de falência

iG Minas Gerais | da redação |

A crise deflagrada após a descoberta de corrupção dentro da Petrobras segue causando diversos impactos. Quatro empresas que prestaram serviços para a estatal e que estão sendo investigadas na Lava Jato, já abriram o processo de falência. A Alumini Engenharia, que foi contratada para realizar obras na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e no Complexo Petroquímico do Rio, alega ter deixado de receber R$1,2 bilhão em aditivos e não conseguiu honrar dívidas de R$500 milhões com bancos, R$300 milhões com fornecedores e diversas dívidas trabalhistas.

Além da Alumini Engenharia, que já teve o pedido de recuperação judicial aprovado a Fidens, a Jaraguá Equipamentos e a Iesa Óleo e Gás também já abriram o pedido de falência, elas estão sendo investigadas pela Operação Lava Jato. Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez também tiveram seus pagamentos suspensos pela Petrobras, mas podrão vender os ativos para cobrir o prejuízo, já que os bancos vem colocando empecilhos para ceder créditos às empresas que estão sendo investigadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave