Mais de 80 imigrantes resgatados em bote em Malta

Os resgatados, todos homens, declararam ser de Burkina Faso, Mali, Guiné e Costa do Marfim, e, apesar de não apresentarem sintomas da doença, serão colocados em quarentena por 21 dias

iG Minas Gerais | AFP |

O exército de Malta informou nesta quinta-feira o resgate em alto mar de 83 imigrantes, que foram colocados em quarentena por medo do vírus Ebola.

Os resgatados, todos homens, declararam ser de Burkina Faso, Mali, Guiné e Costa do Marfim, e, apesar de não apresentarem sintomas da doença, serão colocados em quarentena por 21 dias.

A polícia informou que um deles morreu no hospital e o resultado de sua necrópsia será anunciada em poucos dias.

Charles Mallia Azzopardi, do serviço de combate ao Ebola, explicou a jornalistas que esta decisão foi tomada por "precaução".

Um dos imigrantes disse vir da Guiné, um dos países mais afetados pela epidemia de Ebola, junto com Libéria e Serra Leoa.

De acordo com os resgatados, o bote transportava uma centena de pessoas. Mas cerca de vinte morreram durante a viagem. Os corpos foram atirados ao mar.

Esta é a primeira chegada a Malta de imigrantes ilegais a bordo de um barco desde julho do ano passado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave