Caçadores mataram 1.215 rinocerontes na África do Sul em 2014

Progressão da caça ilegal se deve à venda dos chifres do rinoceronte a preço de ouro na Ásia, em particular no Vietnã, para uso na medicina tradicional

iG Minas Gerais |

Entidades tentam arrecadar verba para salvar espécie de rinocerontes.
Mario Moreno/Barcroft Media
Entidades tentam arrecadar verba para salvar espécie de rinocerontes.

O massacre de rinocerontes se agravou na África do Sul com 1.215 animais mortos pelas mãos de caçadores ilegais no ano passado, contra 1.004 em 2013, anunciou nesta quinta-feira (22) o ministério do Meio Ambiente.

Mais de dois terços deles, 827 rinocerontes, morreram no parque nacional Kruger (nordeste). A progressão da caça ilegal se deve à venda dos chifres do rinoceronte a preço de ouro na Ásia, em particular no Vietnã, para uso na medicina tradicional.

O chifre desse animal contém queratina, proteína que se encontra nas unhas dos seres humanos.

As estatísticas oficiais sul-africanas não param de subir: foram 1.004 animais mortos em 2013, contra 668 em 2012, 448 em 2011, 333 em 2010, 122 em 2009, 83 em 2008 e apenas 13 em 2007. Os especialistas afirmam que estas cifras estão subestimadas.

Leia tudo sobre: rinocerontecaçailegalmortesÁfrica