Presidente argentina não acredita em suicídio do promotor Nisman

Cristina Kirchner afirmou nesta quinta-feira (22) que não acredita no suicídio do Alberto Nisman; promotor denunciou presidente de acobertar Irã por conta de atentado

iG Minas Gerais | AFP |

Cristina Kirchner diz que, se acontecer algo com ela, deve-se
Alvaro Barrientos/associated press - 01.12.2009
Cristina Kirchner diz que, se acontecer algo com ela, deve-se "olhar para o Norte"

A presidente argentina Cristina Kirchner afirmou nesta quinta-feira (22) que não acredita no suicídio do promotor Alberto Nisman, e sim que sua morte foi usada para "uma operação contra seu governo".

"O suicídio não foi suicídio", afirmou, referindo-se ao promotor que investigava o o atentado contra a associação judia AMIA e que a acusou de acobertar o Irã neste caso. "Ele foi usado vivo e depois precisaram dele morto. É triste e terrível", afirmou, em carta publicada no Facebook.