Verba indenizatória volta às discussões

Durante a disputa pela presidência da Casa, Magalhães disse que pretendia licitar alguns itens

iG Minas Gerais | Guilherme reis |

Apesar de a Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) retomar seus trabalhos em fevereiro, na próxima segunda-feira, o colégio de líderes vai se reunir com o presidente Wellington Magalhães (PTN) para discutir propostas de mudanças no regimento interno e no modelo da verba indenizatória.  

Magalhães pretende começar as atividades legislativas de 2015 já cumprindo uma promessa de campanha de moralizar o uso da verba indenizatória. Cada parlamentar tem direito a R$ 15 mil por mês para custear seus mandatos.

De acordo com o vice-presidente da Câmara, Henrique Braga (PSDB), alguns vereadores foram designados para fazer estudos e apresentar alternativas. “Na reunião já teremos ideias para mudar a verba, mas ainda não sei que tipo de proposta vai surgir”. No último sábado, o Aparte mostrou que uma proposta será limitar o gasto com combustíveis em R$ 2.000 por vereador. E o insumo será licitado.

Durante a disputa pela presidência da Casa, Magalhães disse que pretendia licitar alguns itens. No ano passado, uma comissão especial foi constituída para formalizar uma proposta de mudança em 60 dias, o que não aconteceu. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave