‘Magalhães é pior que o Burguês’

Divisão das comissões permanentes gera ira da oposição, que reclama de critérios de distribuição

iG Minas Gerais | Guilherme reis |

Pedro Patrus diz que oposição foi alijada por “manobra” da base
JOAO GODINHO/ O TEMPO
Pedro Patrus diz que oposição foi alijada por “manobra” da base

A publicação da composição das oito comissões temáticas da Câmara Municipal de Belo Horizonte nesta quarta no “Diário Oficial do Município” (DOM) provoca a primeira insatisfação da oposição, capitaneada pelo PT, com o novo presidente da Casa, Wellington Magalhães (PTN). Os petistas reclamam que as solicitações de espaços nos colegiados não foram atendidas e comparam Magalhães ao antecessor Léo Burguês (PTdoB), que foi muito criticado, até pelo atual presidente, por ser centralizador.

Os vereadores de oposição conseguiram apenas duas vagas das 15 possíveis nas três comissões mais cobiçadas. Juninho Paim (PT) foi alocado na Comissão de Administração Pública, e Tarcísio Caixeta (PT) foi para Orçamento e Finanças Públicas. A mudança dos membros das comissões acontece a cada dois anos. Os novos assumem em fevereiro.

Pedro Patrus (PT), que reclama por não ter seu pedido de permanecer na Comissão de Direitos e Defesa do Consumidor atendido, acusa Magalhães de não discutir com a oposição a composição dos grupos temáticos. “O Magalhães falou tanto em dialogar permanentemente com os vereadores, mas o começo de sua gestão foi pior do que o do Léo Burguês (PTdoB)”, disse.

Patrus acusa o presidente de deixar o Executivo influenciar na divisão das comissões, o que faria parte de uma manobra para abafar a oposição no Legislativo da capital. “Não teremos representatividade necessária para acompanhar o Executivo. Já vemos que não discutiremos os projetos de lei e seremos tratorados pela base de governo”, destacou o petista, que vai se reunir com a oposição hoje para discutir a insatisfação na divisão de cadeiras nos colegiados.

O vereador Ronaldo Gontijo (PPS), que terá uma cadeira na Comissão de Legislação e Justiça, uma das mais importantes da Câmara, argumenta o oposto de Patrus. Para ele, o novo presidente tem tratado os colegas parlamentares de maneira democrática. “Todas as bancadas tiveram a oportunidade de fazer seus pedidos e conversar com o presidente. Acho que algumas reclamações são pontuais. Alguns vereadores podem ter ficado insatisfeitos, mas o processo foi democrático”, analisou.

Metade. Segundo o vice-presidente Henrique Braga (PSDB), a oposição teve 50% dos seus pedidos aceitos. “É uma mentira dizer que a presidência não ouviu os vereadores. Eles tiveram a condição de pleitear o que queriam, mas nem tudo exigido tem como ser feito”, defendeu o parlamentar. Braga vai permanecer na Comissão de Orçamento e Finanças.

Eleição

Definição. As comissões permanentes ainda não têm presidente e vice-presidente. Cada um dos oito colegiados vai eleger seus líderes quando a Câmara voltar às atividades, em fevereiro.

Mais cobiçadas Legislação e Justiça Ronaldo Gontijo (PPS), Juninho Los Hermanos (PROS), Edson Moreira (PTN), Joel Moreira (PTC), Sérgio Fernando (PV). Administração Pública Jorge Santos (PRB), Juliano Lopes (SD), Marcelo Aro (PHS), Juninho Paim (PT), Marcelo Álvaro Antônio (PRP). Orçamento e Finanças Públicas Bruno Miranda (PDT), Daniel Nepomuceno (PSB), Tarcísio Caixeta (PT), Henrique Braga (PSDB), Bispo Fernando Luiz (PSB). Meio Ambiente e Política Urbana Elaine Matozinhos (PTB), Alexandre Gomes (PSB), Iran Barbosa (PMDB), Adriano Ventura (PT), Veré da Farmácia (PTdoB).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave