Governo não faz obras prioritárias

Para se ter uma ideia, dos 45 mil quilômetros de novas linhas de transmissão previstas até 2017, 10,2 mil quilômetros ainda não têm estimativa de concessão

iG Minas Gerais |

Brasília. Dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) apontam que o governo tem deixado de executar mais de um terço das obras indicadas pelo órgão como prioritárias para garantir o abastecimento do país. No chamado Plano de Ampliações e Reforços (PER), elaborado todos os anos, o ONS aponta quais são os projetos de linhas de transmissão e de subestações de energia que precisam ser contratados para afastar o país de panes graves e riscos de apagão.  

O planejamento concluído no fim de 2014 aponta que 104 dos 310 projetos previstos entre 2015 e 2017 já tinham que estar prontos. A relação de ações necessárias para dar segurança técnica à distribuição de energia inclui 147 instalações novas de linhas e subestações, além de outras 163 medidas de reforço, a maioria sem previsão de sair do papel. O custo estimado das obras é de R$ 13,8 bilhões.

Para se ter uma ideia, dos 45 mil quilômetros de novas linhas de transmissão previstas até 2017, 10,2 mil quilômetros ainda não têm estimativa de concessão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave