Casa Branca: convite para Netanyahu discusar no Congresso é quebra de

Embora Israel e Estados Unidos permaneçam aliados próximos, Obama e Netanyahu tiveram atritos públicos

iG Minas Gerais | AFP |

Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu
AP Photo/Menahem Kahana, Pool
Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu

A Casa Branca considerou, nesta quarta-feira, que o convite feito pelo Congresso americano ao premiê israelense, Benjamin Netanyahu, para discursar na casa no começo de fevereiro constitui uma quebra de de protocolo.

"Os israelenses não nos informaram em absoluto sobre esta viagem", declarou o porta-voz do Executivo americano, Josh Earnest.

"O protocolo tradicional seria que o líder de um país faça contato com o líder de outro país quando viaja para lá. Esta é a forma como são planejadas as viagens de (Barack) Obama", explicou.

"Sendo assim, este evento em particular parece ser uma quebra de protocolo", concluiu Earnest.

O presidente republicano da Câmara dos Representantes, John Boehner, anunciou na quarta-feira que o Congresso americano tinha convidado o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, a fazer um discurso na casa em 11 de fevereiro, quando se inicia o debate parlamentar sobre o programa nuclear iraniano.

"Diante dos desafios atuais, peço ao premiê (israelense) para falar perante o Congresso sobre as graves ameaças que o Islã radical e o Irã representam para nossa segurança e forma de vida", explicou Boehner, em um gesto evidente de desafio ao presidente Barack Obama.

Um grande número de congressistas é favorável à aprovação de uma lei que imponha sanções ao Irã, caso fracassem as negociações atuais. Mas Obama disse claramente que imporia seu veto a qualquer lei relativa às sanções contra o Irã.

"Fomos informados esta manhã sobre o convite feito pelo presidente da Câmara, pouco antes do anúncio oficial", disse Earnest, acrescentando que a Casa Branca comunicará mais sobre sua posição quando "falar com os israelenses sobre seus planos para esta viagem e sobre o que (Netanyahu) planeja dizer".

Embora Israel e Estados Unidos permaneçam aliados próximos, Obama e Netanyahu tiveram atritos públicos sobre os assentamentos israelenses na Cisjordânia e sobre como abordar o programa nuclear iraniano.

Os aliados de Obama temem que a viagem de Netanyahu seja usada por Israel e os republicanos para levantar oposição contra um acordo sobre o programa nuclear iraniano, em um momento em que as negociações chegam a uma fase crítica.

Com relação ao convite a Netanyahu, Boehner disse que o líder israelense é um "grande amigo do nosso país e (que) este convite representa nosso inquebrantável compromisso com a segurança e o bem-estar do seu povo".

Netanyahu deu dois discursos no Congresso americano anteriormente, em 1996 e 2011.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave