Granada que matou torcedor em bar da Guiné foi encontrada em lixão

Um torcedor acionou a granada ao comemorar um gol após a seleção nacional abrir o placar contra a Costa do Marfim

iG Minas Gerais | AFP |

A polícia militar da Guiné informou que a granada matou um torcedor e deixou vários feridos na terça-feira, em um bar onde estava sendo exibindo um jogo de futebol, tinha sido encontrada num lixão da capital, Conacri.

O primeiro balanço mencionava "de um a três mortos", mas uma fonte hospitalar informou nesta quarta-feira à AFP que "um corpo se encontrava no necrotério".

Um torcedor acionou a granada ao comemorar um gol após a seleção nacional abrir o placar contra a Costa do Marfim, em partida válida pela Copa Africana de Nações.

Mamadou Alpha Barry, porta-voz da polícia militar, explicou que o artefato foi ativado acidentalmente "por um civil chamado Kémoko Camara".

"A explosão foi acidental, porque o próprio Camara sofreu ferimentos graves", completou Barry.

De acordo com uma fonte policial que pediu para não ser identificada, a granada explodiu quando torcedores estavam comemorando o gol marcado por Mohamed Lamine Yattara aos 36 minutos de jogo.

"Estávamos todos festejando o gol da Guiné quando ouvimos uma forte explosão no bar, que estava lotado porque era o único local do bairro com eletricidade", explicou a fonte.

"O autor do incidente indicou que catou a granada em um lixão do bairro de Dar es-Salam (subúrbio de Conacri), explicou à AFP uma fonte próxima à investigação.

"Naquele bairro, há muitos novos recrutas do exército, e muitos outros jovens que combateram em rebeliões na Libéria e na Serra Leoa (países vizinho da Guiné) nas décadas de 90 e 2000", completou a fonte.

O jogo terminou empatado em 1 a 1, após Seydou Doumbia anotar para a Costa do Marfim aos 27 da etapa final.

O empate com os favoritos da competição foi inesperado e muito comemorado nas ruas de Conacri, num país que foi um dos mais castigados com a epidemia de Ebola.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave