Suíça aposta no turismo brasileiro

Brasileiros, que passam em média 2,4 dias de férias na Suíça, gastam cerca de 200 francos por dia (198 euros, US$ 230), ou seja, duas vezes mais que um alemão

iG Minas Gerais | AFP |

A Suíça, um dos destinos mais apreciados do turismo de inverno, busca novos mercados e aposta no Brasil
AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI
A Suíça, um dos destinos mais apreciados do turismo de inverno, busca novos mercados e aposta no Brasil

A Suíça, um dos destinos mais apreciados do turismo de inverno, busca novos mercados e aposta no Brasil, cujos viajantes são cada vez mais numerosos.

"A neve é fria!", exclama Paulo Veloso na estação de esqui de St Moritz, no oeste do país. Este músico de 30 anos e integrante de uma escola de samba do Rio de Janeiro é um dos convidados da agência de turismo Suisse Tourisme, que deseja "vender" as belezas do país europeu em um mercado em forte expansão.

Em 2013, 86.529 brasileiros passaram mais de 206.000 noites de hotel na Suíça, um aumento anual constante de 15% desde 2005.

Ainda assim, estas estatísticas estão longe dos 1,2 milhão de visitantes brasileiros na França no ano passado.

Mas a Suisse Tourisme considera o Brasil um "mercado estratégico" de grande potencial, de acordo com a sua porta-voz, Veronique Kanel.

A agência acredita que o número de brasileiros atraídos pela oferta suíça de esportes de inverno pode chegar a 350.000.

Suíça, 8º destino na Europa

"A Suíça é atualmente o oitavo destino na Europa para os brasileiros. Nosso objetivo é integrar o top 5 até o final de 2016", afirma Adrien Grenier, que chefia a delegação de três pessoas da Suisse Tourisme em São Paulo.

Isto porque os brasileiros, que passam em média 2,4 dias de férias na Suíça, gastam cerca de 200 francos por dia (198 euros, US$ 230), ou seja, duas vezes mais que um alemão.

"Nosso país é conhecido por sua infraestrutura, seu sistema de governo, de saúde e educação, por seus bancos e por sua segurança, mas muito pouco para tudo que se refere ao turismo: comida, paisagem, hospitalidade e cultura", acrescenta Grenier.

Para conseguir isso, a agência de turismo convidou um grande grupo para visitar o país. Nada menos do que 36 pessoas, integrantes da escola de samba "Unidos da Tijuca", vencedora do carnaval do ano passado, viajaram por toda a Suíça na semana passada para descobrir o país e se tornarem seus "embaixadores" em seu retorno ao Brasil.

"A atriz Juliana Alves (que está entre os convidados) adorou esta viagem", declarou à AFP Bruno Tenorio, diretor da escola de samba.

O grupo recebeu todos os mimos; depois de uma excursão em trenós no elegante resort de St. Moritz, a tropa visitou joalherias e fábricas de chocolate, antes de realizar vários shows de samba em várias cidades suíças.

"O queijo, o chocolate e as joias são os nossos melhores embaixadores", afirma Grenier.

Neste ano, a escola de samba levará para a avenida o tema "Suíça", inspirando-se na tradição helvética, segundo a qual os monstros, que supostamente devem expulsar o inverno, são numerosos e portam variados e floridos figurinos, em referência à chegada iminente da primavera.

"No total, a Suíça, através de fundos públicos e privados, financiou nosso desfile com cerca de 2,5 milhões de francos, de um total de 5 milhões necessários", afirma Tenorio.

A Suisse Tourisme está contente com os benefícios que isso pode gerar, já que o Carnaval atrai centenas de milhares de pessoas ao vivo e milhões de telespectadores, que estarão interessados no tema "Suíça".