Uma verdade ficcional

Espanca! volta ao cartaz com “Dente de Leão”, no Oi Futuro, confrontando estudantes, familiares e professores

iG Minas Gerais | Luciana Romagnolli |

Trio. Raysner de Paula, Gustavo Bones e Gabriela Luiza interpretam estudantes que planejam uma ação diferente para Feira de Ciências
Gabriel Andrés caram/ Divulgaçãi
Trio. Raysner de Paula, Gustavo Bones e Gabriela Luiza interpretam estudantes que planejam uma ação diferente para Feira de Ciências

O fim da semana será intenso para o teatro na programação do 9º Verão Arte Contemporânea. O Armatrux (leia abaixo) e o Espanca!, dois grupos com trabalhos sólidos e estéticas distintas, fazem novas temporadas curtas de suas montagens mais recentes. Sem esquecer da estreia de “Madame Satã”, no Galpão Cine Horto.  

“Dente de Leão” foi o espetáculo que marcou o início da nova fase do Espanca!, agora formado pelos atores Marcelo Castro e Gustavo Bones e a produtora Aline Vila Real. Cercados por colaboradores como o dramaturgo Assis Benevenuto e os atores Glaucia Vandeveld e Alexandre de Sena, eles encenam uma fábula que se passa no ambiente escolar, contrapondo estudantes, professores e familiares.

A protagonista é Cíntia (Gabriela Luiza), aluna incomodada com os padrões que cristalizam a sua vida e a de pessoas ao redor. Sua estratégia para contrariar essa tendência à repetição sem sentido passa por uma união de arte, ciência e cotidiano.

Benevenuto escreveu o argumento sobre uma garota que transforma a família em projeto para a feira de ciências enquanto o Espanca! buscava uma peça para montar. No percurso, o grupo até começou a adaptar “O Envelope”, de Spiro Scimone, sobre instituições repressoras do Estado, e estudou “Tentando Fazer uma Peça que Mude o Mundo”, do chileno La Resentida. Resta algo dessa “tentativa de salvar o mundo” nas ações de Cíntia em “Dente de Leão”. “À nossa maneira, a partir do lugar do teatro”, pondera o diretor Marcelo Castro.

“Uma leitura possível é o teatro como único lugar em que esses jovens conseguem de fato fazer alguma coisa pela qual se sintam representados. É um espaço de possibilidades infinitas”, comenta o diretor. “Isso é verdade para todo mundo que faz teatro: essa sensação que se tem de um lugar de criação libertador”.

A fábula concentra algumas questões caras ao Espanca!, como relações entre ilusão e verdade. Há ainda a diversificação de linguagens, opção que já se via em espetáculos como “Congresso Internacional do Medo” e na cena curta “Onde Está o Amarildo?”, e que ganha força no próximo projeto do grupo (leia ao lado).

A presença de uma câmera de vídeo interfere na atuação dos familiares, dispostos ao fundo do palco, num lugar distanciado. Já os professores são retratados de modo mais caricatural, enquanto os alunos permanecem numa relação próxima com a plateia. “Pensei em representar cada núcleo com estéticas completamente distintas, como uma forma de fazer as pessoas enxergarem a linguagem. E verem que a peça não diz a verdade sobre os professores ou a família, mas uma verdade ficcional”, comenta Castro.

Desde a estreia em setembro passado, a harmonia entre grupo e colaboradores foi aprimorada. “É a primeira vez que estamos trabalhando com o Raysner (de Paula), a Gabi e a Lira (Ribas). A temporada serviu para eles entrarem no nosso jeito de fazer, como dificilmente conseguiríamos nos ensaios”, diz. Agora o elenco trabalha para recuperar o ritmo “quase frenético”. “Estou tentando exigir isso nos ensaios, para voltar com esse frenesi que era a coisa mais legal do espetáculo”.

Cinco abordagens para uma revista política em processo O Espanca! prepara um novo espetáculo, “Real - Uma Revista Política”, com textos encomendados a Byron O’Neal (MG), Marcio Abreu (PR), Roberto Alvim (SP), Leonardo Moreira (SP) e Diogo Liberano (RJ). Alvim já enviou o seu. Foi pedido aos autores escritos para cerca de 20 minutos de encenação. O grupo pretende trabalhar livremente os textos recebidos, separados ou unindo fragmentos, em cinco workshops que serão realizados até junho. A intenção inicial, contudo, é que cada peça curta ganhe um tratamento estético diferente, variando linguagens tal como no teatro de revista.

Agenda

O QUê. “Dente de Leão”, do Espanca!

Quando. Desta quarta a sábado, às 21h; domingo, às 19h

Onde. Teatro Oi Futuro Klauss Viana (av. Afonso Pena, 4.001)

Quanto. R$ 16 (inteira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave