Pênalti no foco da apresentação

Colombiano garante que, se tiver chance de bater penalidade contra o Atlético, não vai ter receio

iG Minas Gerais | Josias Pereira |

Colombiano tranquilo. 
Mesmo com tantas perguntas sobre o pênalti que bateu e foi defendido por Victor, Riascos não perdeu a esportiva e respondeu a todos os jornalistas que tocaram no assunto
Alex de Jesus
Colombiano tranquilo. Mesmo com tantas perguntas sobre o pênalti que bateu e foi defendido por Victor, Riascos não perdeu a esportiva e respondeu a todos os jornalistas que tocaram no assunto

No futebol, um único lance é capaz de mudar toda a história. Ainda bem que o planeta bola dá suas voltas e, de tão dinâmico, surpreende até os mais céticos. Duas temporadas após desperdiçar um pênalti capital para o Tijuana-MEX na Libertadores, o atacante colombiano Duvier Riascos recebe uma chance de reescrever sua trajetória justamente no maior rival do algoz de anos atrás. A história vai provando que os deuses da bola também pregam traquinagens.

Apresentado nesta terça como o quinto reforço do Cruzeiro para a temporada, o jogador, de 28 anos, não escapou das perguntas relacionadas àquele fatídico penal defendido pelo goleiro alvinegro Victor, pelas quartas de final da Libertadores de 2013. Histórias interligadas e que ganham agora um novo capítulo. O que passou, passou. E Riascos garante. Se o destino lhe reservar uma nova chance, não faltará em nenhum momento a coragem de responder ao chamado do treinador celeste.

“Não teria medo. No futebol, podemos cobrar pênaltis e fazer gols. Teria tranquilidade para cobrar, sem medo, porque, em campo, fui bem e marquei gols contra o Atlético”, diz Riascos, sem se sentir intimidado com as provocações do rival, cantadas até mesmo a plenos pulmões na última temporada.

“Provocação tem desde que eu cheguei aqui (em Belo Horizonte), mas eu estou tranquilo. Estou em um clube muito importante, só quero responder no campo com gols e mostrar que eu posso ser um jogador muito importante”, pondera.

Os ecos do passado farão parte da rotina de Riascos no Cruzeiro, mas o desafio que ele tem pela frente é superior ao que para trás ficou. Envergando a camisa celeste, o colombiano tem agora a missão de se tornar uma estrela no tão competitivo futebol brasileiro. Desafio proposto, aceito e concluído com êxito por seu compatriota Aristizábal, por sinal, a inspiração de Riascos para trilhar um caminho de glórias dentro da Toca da Raposa II.

“Aristizábal deixou a Colômbia em evidência, é um jogador muito importante para o meu país. Espero ser igual ou melhor do que ele. Tenho de aproveitar essa oportunidade e deixar meu nome aqui”, disse Riascos.

“Chegar ao país do futebol me encanta pela alegria. Tenho a gana de jogar, muitos jogadores nascem com o futebol, e eu nasci com isso. Eu passei por algumas coisas, mas acredito que este ano será diferente”, conclui o esperançoso atacante, uma das grandes apostas do Cruzeiro para a disputa da Libertadores.

Detalhes separam Mena da Toca; clube ainda quer Pará O Cruzeiro espera concluir a aquisição de mais dois reforços para a temporada - o chileno Mena e o jovem Pará, de 19 anos, ambos laterais-esquerdos. Os jogadores chegam para suprir a lacuna deixada após a saída de Egídio, negociado com o futebol ucraniano. No caso de Mena, os valores pedidos pelo atleta seriam o empecilho para o acerto, é o que revela o superintendente de futebol, Benecy Queiroz. “Este é assunto que estamos em negociação. Quarta-feira (hoje), o representante dele terá uma reunião conosco. O que nos separa de um acerto são detalhes financeiros, achamos que os valores pedidos estão acima”, disse. Outro assunto na pauta do superintendente do Cruzeiro é o lateral Pará. O diretor celeste viaja para Salvador para se reunir com representantes do Bahia. Pelo jovem atleta, o “Não existe plano B no Cruzeiro, o que existe é aquisição de jogadores”, completou Benecy Queiroz.

No estaleiro Dedé operado. O zagueiro Dedé passou por cirurgia no joelho direito na manhã desta terça no Rio de Janeiro e segundo a assessoria de imprensa do Cruzeiro o jogador passa bem. O defensor, que só deve voltar aos gramados em oito meses, foi operado no Hospital Vitória, pelo médico José Luiz Runco, que já fez parte do staff da seleção brasileira. De acordo com o médico celeste Sérgio Freire Júnior, a cirurgia de Dedé durou cerca de duas horas e o jogador receberá alta nesta quarta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave