Presidente palmeirense aprova decisão do governo

Paulo Nobre se diz favorável o veto da presidente Dilma Rousseff ao refinanciamento das dívidas dos clubes sem contrapartida

iG Minas Gerais | Folhapress |

Presidente alviverde ficou inconsolado com a derrota por 3x0 e apatia do time palmeirense
Agência Estado
Presidente alviverde ficou inconsolado com a derrota por 3x0 e apatia do time palmeirense

Em entrevista ao programa "Arena SporTV" nesta terça-feira (20), o presidente do Palmeiras Paulo Nobre se disse favorável ao veto da presidente Dilma Rousseff ao refinanciamento das dívidas dos clubes sem contrapartidas. Ao justificar a medida, o governo federal cobrou "responsabilidade fiscal dos clubes e entidades, a transparência e o aprimoramento de sua gestão, bem como a efetividade dos direitos dos atletas".

"Futebol é praticamente uma religião no Brasil, e só por isso eu admito a entrada de recursos públicos. Mas não faz o menos sentido aprovar o refinanciamento sem contrapartida por parte dos clubes, porque em dez anos estaremos de volta na mesma situação de hoje, em que o clube gasta o que não tem, adianta receitas e é campeão, criando assim uma 'bolha'. Tem que ser rebaixado, e não campeão. Também sou favor à punição da pessoa física do dirigente. O dirigente tem que ser responsável por tudo o que acontece em sua gestão", disse o presidente do Palmeiras.

"Não queremos anistia, mas refinanciamento das dívidas, para que os clubes tenham condições de pagar tudo o que devem", completou Nobre.

VETO DE DILMA

A presidente Dilma Rousseff vetou nesta segunda-feira (19) o refinanciamento das dívidas dos clubes de futebol brasileiro sem nenhuma contrapartida.

O refinanciamento sem exigência de contrapartidas foi umamanobra legislativa do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), ligado à CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Leia tudo sobre: Palmeirasfutebolvetodilmalei