CBF já gastou R$ 14,2 milhões do fundo de legado da Copa

Do total da verba, 60% será utilizado para a construção de centros de treinamento e campos de futebol nos 15 Estados que não receberam jogos do Mundial

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Jerome Valcke, Secretary General of FIFA is seen during an inspection tour of Arena de Sao Paulo stadium, in Sao Paulo, Brazil, Monday, Jan. 20, 2014. Members of FIFA and the 2014 WCup Local Organizing Committee started an inspection tour of stadiums in host cities across Brazil. (AP Photo/Nelson Antoine)
Associated Press
Jerome Valcke, Secretary General of FIFA is seen during an inspection tour of Arena de Sao Paulo stadium, in Sao Paulo, Brazil, Monday, Jan. 20, 2014. Members of FIFA and the 2014 WCup Local Organizing Committee started an inspection tour of stadiums in host cities across Brazil. (AP Photo/Nelson Antoine)

Seis meses depois do fim da Copa do Mundo, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) já gastou US$ 5,4 milhões (R$ 14,2 milhões) do fundo de US$ 100 milhões (R$ 262 milhões) disponibilizado pela Fifa como contrapartida pela organização da competição.

O valor, chamado de fundo de legado do Mundial, visa desenvolver o futebol no país-sede do maior torneio da Fifa.

Do total da verba, 60% será utilizado para a construção de centros de treinamento e campos de futebol nos 15 Estados que não receberam jogos da Copa. Outros 30% serão repassados para o desenvolvimento do futebol feminino e das categorias de base (metade para cada).

Os 10% restantes serão aplicados em projetos de saúde pública, conscientização e prevenção de doenças (4%), projetos sociais e comunitários (4%) e custos de administração, logística e outros (2%).

Até o momento, a CBF já utilizou US$ 4,6 milhões (R$ 12 milhões) com CTs e mais US$ 800 mil (R$ 2,1 milhões) com projetos sociais.

O único projeto de legado com as obras já em andamento é a construção de quatro campos de futebol (três de grama artificial) no Centro Esportivo da Juventude, localizado nos arredores do Mangueirão, em Belém (BA).

Segundo a CBF, a previsão que as instalações comecem a ser utilizadas dentro de algumas semanas.

Os próximos Estados a receber campos oriundos do dinheiro devolvido pela Fifa ao Brasil serão Rondônia e Tocantins.

"Muitos falavam que a Fifa iria embora depois da Copa. Mas estamos aqui. A Fifa tem um compromisso com o desenvolvimento do futebol em todos os locais que recebem seus eventos", disse o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke.

Apesar de a CBF ser responsável pela implantação das obras do fundo de legado na Copa, ela não tem controle sobre o dinheiro. A verba vai sendo repassada pela Fifa conforme os projetos vão saindo do papel.

Os projetos agraciados com o dinheiro da contrapartida do Mundial também precisam ser aprovados pelo órgão internacionais e não podem ser decididos exclusivamente pela CBF.

Leia tudo sobre: fifajérôme valckeverbacopa do mundo2014fundo