Sem regra, usuários ignoram os riscos

Gerente de uma empresa de fotos e filmagens, Bruno Vereza, 27, acredita que nenhuma organização que usa drones tenha essa autorização

iG Minas Gerais | bernardo Miranda |

Para usar drones de forma comercial, é preciso entrar com um pedido especial na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas as empresas reclamam que o processo é tão burocrático que inviabiliza a prestação de serviço. Além disso, sem uma lei específica e fiscalização, muitos profissionais não respeitam limites de segurança.

Gerente de uma empresa de fotos e filmagens, Bruno Vereza, 27, acredita que nenhuma organização que usa drones tenha essa autorização. “O que tem que fazer na Anac é inviável para que você tenha agilidade para prestar o serviço. Como não há uma regulamentação específica, acaba que as pessoas operam sem essa autorização”, diz.

Vereza defende a regulamentação o mais rápido possível. “Até mesmo por segurança. Como não há regras, nem fiscalização adequada, não há garantias de qualidade no serviço prestado. Muita gente atua sem respeitar os limites de segurança, como voar em shows, onde há um grande número de pessoas que poderiam ser atingidas em caso de acidentes”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave