Excesso de pessoas força cancelamento dos ensaios abertos de Carnaval

Decisão foi tomada após transtornos causados neste domingo (18); organizadores de blocos de rua já haviam procurado ajuda da prefeitura

iG Minas Gerais | GUILHERME ÁVILA |

Cidades - Do dia - Belo Horizonte MG
Carnaval de Belo Horizonte - Segundo ensaio geral do bloco Juventude Bronzeada na praca Floriano Peixoto no Santa Efigenia
Na foto: Rodrigo Magalhaes  de costas um dos fundadores do bloco rege o ensaio geral da bateria

FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 18.1.2015
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Cidades - Do dia - Belo Horizonte MG Carnaval de Belo Horizonte - Segundo ensaio geral do bloco Juventude Bronzeada na praca Floriano Peixoto no Santa Efigenia Na foto: Rodrigo Magalhaes de costas um dos fundadores do bloco rege o ensaio geral da bateria FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 18.1.2015
Os próximos ensaios abertos ao público do bloco Juventude Bronzeada dos dias 25 de janeiro, 1 e 8 de fevereiro foram cancelados após atrair mais de 2 mil pessoas para praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, causando danos e muita sujeira ao espaço no último domingo (18). O número de foliões precoces que foram ao local surpreendeu os organizadores, que já haviam procurado a prefeitura em busca de ajuda.   Para manter qualidade dos ensaios, evitar excesso de público e evitar novos problemas para cidade, outro bloco de rua, o Então Brilha, também desmarcou seus eventos marcados para esta quinta (22), 29 de janeiro e 5 de fevereiro na Praça da Estação, no Centro. Os grupos Baianas Ozadas e Pena de Pavão de Krishna também fazem seus ensaios em lugares fechados para não perder o foco de preparação dos músicos e evitar problemas com lixo.   A Belotur, que estima dum público de 1,5 milhão de foliões no Carnaval de BH este ano, informou que os ensaios são "manifestações espontâneas, sem conhecimento do poder público e por isso não são submetidos aos procedimentos adotados durante o Carnaval". Para ter acesso a espaços fechados disponibilizados para ensaios com estrutura de banheiros químicos e limpeza, como o Largo da Saideira, na Região Nordeste, é necessário um cadastramento prévio.     Ensaio aberto termina com praça suja

Durante a tarde de domingo (18), o bloco Juventude Bronzeada realizou um ensaio na praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, para acolher novos percursionistas e acertar o ritmo com os integrantes recém-chegados. O número de pessoas que foi até o local (cerca de 1.000) acabou surpreendendo os organizadores. Mas na manhã seguinte, a surpresa acabou se revelando ingrata, pois a praça estava repleta de lixo.

Marcela Pieri, uma das organizadoras do bloco, conta que mesmo antes do ensaio já havia uma preocupação em preservar o local e as pessoas eram orientadas a levar sacolas plásticas e caixas de papelão para recolher os resíduos. Uma postagem feita na página da Juventude Bronzeada oferecia um brinde para quem ajudasse a recolher o lixo.

Mas a proposta não foi capaz de conscientizar todos os que foram até a praça Floriano Peixoto. Para limpar a área, a Unimed, que desde de 2010 é responsável pelo local através do Programa Adote o Verde, da Prefeitura de Belo Horizonte, realizou um mutirão ainda na manhã desta segunda-feira. Segundo moradores, a equipe limpou o espaço de 7h às 15h desta segunda.

Morador da região, o aposentado Humberto de Campos, 73, avaliou que o evento não gerou prejuízos para quem usa a praça. “Estava muito cheio ontem e realmente teve muita sujeira, mas hoje limparam tudo. De vez em quando o som incomoda, mas no geral não houve nenhum dano para o bairro”, explicou.

Para Mateus Camilo de Souza, 34, que trabalha como porteiro de um prédio na região, o maior problema foi a falta de lixos e de banheiros para os foliões."No dia é muita confusão, não dá nem para ouvir a pessoa falando pelo interfone, carros parando nas portas das garagens dos prédios, as lixeiras ficaram todas transbordando, acho que tinham que colocar mais lixeiras nesses eventos aqui".

Marcela Pieri relata que na semana anterior ao ensaio chegou a fazer contato com a Belotur, solicitando banheiros químicos e ajuda na limpeza, mas o órgão alegou não ter verba para apoiar a realização de ensaios. Questionada, a empresa da prefeitura emitiu uma nota em que justifica a falta de apoio no fato do bloco não estar inserido no Calendário Oficial do carnaval de Belo Horizonte. "Por esta razão não estão subordinadas aos procedimentos e medidas adotadas em comum acordo com os representantes das agremiações carnavalescas credenciadas, como escolas de samba, blocos caricatos e blocos de rua", afirmou a Belotur. Integrante do bloco Juventude Bronzeada, Rodrigo Magalhães conta que depois do que ocorreu no domingo a forma de encontrar com os membros da bateria do bloco teve que ser repensada. "Temos mais três ensaios, durante todos os domingos até o Carnaval, mas não devemos mais realizá-los na praça, até porque o grande número de pessoas atrapalhou o objetivo principal, que é o ensaio da banda. Não sabemos ainda onde vamos fazer os ensaios, mas a ideia é divulgar somente para os integrantes do grupo, não para fechar para quem é de fora, já que todos são bem vindos, mas para dar um foco maior para o ensaio mesmo", disse.

No ano passado, quando a Juventude Bronzeada saiu pela primeira vez em no Carnaval de Belo Horizonte, cerca de 50 instrumentistas participaram da marcha feita pelo bloco. Neste domingo, aproximadamente 120 pessoas integravam  a banda, que eve contar com 170 membros durante o Carnaval.

Leia tudo sobre: carnaljuventude bronzeada