Em 4 anos, nove grandes apagões assustaram o país

Interrupções constantes no fornecimento de energia desafiam o governo

iG Minas Gerais |

No escuro. 
Apagão de ontem trouxe transtorno em vários Estados
CHELLO FOTÓGRAFO
No escuro. Apagão de ontem trouxe transtorno em vários Estados

SÃO PAULO. Em pouco mais de quatro anos, o Brasil enfrentou nove grandes apagões. Os quatro últimos ocorreram por motivos variados, de curto-circuito a interferências que prejudicaram o funcionamento do sistema. As interrupções foram registradas em praticamente todos os Estados e expuseram a fragilidade do sistema brasileiro e desequilíbrio entre oferta e demanda. O último grande apagão ocorreu em fevereiro do ano passado. Cidades de 11 Estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país ficaram às escuras devido a falhas na linha de transmissão entre Colinas (TO) e Serra da Mesa (GO). As linhas são operadas pela Cemig. O apagão afetou cerca de 12 milhões de pessoas.

Apagões têm acontecido com frequência nos últimos anos. Apenas durante o governo Dilma Rousseff, já foram registrados nove episódios de grandes proporções (interrupção de um volume de energia entre 800 MW e 12.900 MW). Mas dados do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) informam que o Brasil passou por 150 blecautes acima de 100 MW desde janeiro de 2011. Só no ano passado, foram 27 episódios.

Em agosto de 2013, uma queimada em uma fazenda no Piauí provocou um curto circuito que derrubou todo o sistema de energia do Nordeste. O blecaute deixou às escuras os nove Estados da região. Em algumas localidades, o apagão durou mais de quatro horas, afetou aeroportos e causou problemas na telefonia das cidades, além de engarrafamentos, cancelamento de aulas e prejuízos para a indústria e o comércio.

Ocorreram apagões de grande proporção em outubro e dezembro de 2012 e no fim de 2011. Todos por falhas no sistema, queimadas ou problemas em linhas de transmissão.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) adiou por prazo indeterminado a divulgação dos valores bilionários que entrarão na conta de luz do consumidor no início deste ano. Estava prevista para esta terça a deliberação da diretoria da agência sobre o valor final e também para o percentual de aumento que isso representaria para os consumidores de todo país. A agência não informou o motivo do processo ter sido retirado de pauta e nem o novo prazo para que o assunto seja deliberado.

A decisão pode ter sido motivada pelo apagão que ocorreu em diferentes Estados do país nesta segunda.

Principais quedas Na Bovespa nesta segunda: CPFL (-7,30%, para R$ 17,52) Light (-6,59%, para R$ 14,75) Cemig (-6,38%, para R$ 11,60) Tractebel (-6,31%, para R$ 31,46) Copel (-5,99%, para R$ 32,15) Energias do Brasil (-5,85%, para R$ 8,53) Cesp (-4,71%, para R$ 24,30) Eletrobras(-4,26%, para R$ 7,41)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave