UE prepara projetos antiterroristas com Turquia e países árabes

A UE também decidiu melhorar a coordenação em matéria de troca de informações e de inteligência, tanto no interior da UE quanto em outros países

iG Minas Gerais | AFP |

A União Europeia (UE) quer lançar projetos antiterroristas com a Turquia e os países árabes nas próximas semanas para aprofundar a cooperação nesta questão, depois dos ataques em Paris, informou nesta segunda-feira a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

"Preparamos projetos específicos para serem lançados nas próximas semanas com alguns países, e aprofundar assim o nível de cooperação antiterrorista", declarou Mogherini citando países como a Turquia, Egito, Iêmen, Argélia.

A UE também decidiu melhorar a coordenação em matéria de "troca de informações e de inteligência, tanto no interior da UE quanto em outros países". Mogherini enumerou mais vez a "Turquia, Egito, os países do Golfo, África do Norte, além de África e Ásia".

A chefe da diplomacia indicou que lançará duas "ações concretas imediatas": a ampliação do esquema de segurança em todas as delegações da UE nos países relevantes; a manutenção de contatos regulares entre profissionais da segurança e das equipes de antiterrorismo; e o aperfeiçoamento da comunicação com a população de língua árabe dentro da EU e com a comunidade árabe no mundo".

Mogherini evocou a organização de uma conferência internacional em Bruxelas destinada a analisar meios de acabar com o financiamento "das redes terroristas".

No plano interno europeu, os 28 países membros pediram para que o Parlamento Europeu "relance os trabalhos sobre o PNR", o projeto de registro europeu de passageiros de companhias aéreas bloqueado pelos eurodeputados desde 2011.

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) se reuniram nesta segunda-feira para forjar uma aliança contra o terrorismo que inclua os países muçulmanos depois dos ataques em Paris e das operações antiterroristas no continente.

Os ministros, reunidos em uma Bruxelas superpatrulhada desde a semana passada, discutem como prevenir possíveis ataques de cidadãos europeus radicalizados e que voltam das zonas de combate na Síria ou Iraque.

O secretário-geral da Liga Árabe, Nabil el Arabi, foi convidado a participar nesta reunião dos 28 ministros da UE.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave