Brasil vence Belarus e e mantém chance de classificação

Foi a primeira vitória em três jogos da seleção brasileira, o que deixa o time na quarta colocação do Grupo A

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Na quarta-feira (21), a seleção encara a Eslovênia, líder da chave
Wander Roberto/ Photo e Grafia
Na quarta-feira (21), a seleção encara a Eslovênia, líder da chave

O Brasil foi a primeira seleção a vencer um europeu neste Mundial de handebol do Qatar. Era praticamente uma obrigação para a equipe ainda manter as chances de classificação para as oitavas de final. E conseguiu.

Por 34 a 29, os brasileiros bateram Belarus nesta segunda-feira (19), na luxuosa e vazia Arena Lusail (que não teve 10% dos 15 mil lugares ocupados).

Foi a primeira vitória em três jogos do Brasil, o que deixa o time na quarta colocação do Grupo A e a uma vitória da vaga na próxima fase (os quatro primeiros avançam).

Na quarta-feira (21), a seleção comandada pelo espanhol Jordi Ribera encara a Eslovênia, líder da chave. Na sexta (23), o Chile, lanterna.

Até a vitória do Brasil nesta segunda, em 24 partidas deste Mundial, os europeus não tinham perdido para nenhuma seleção de fora do Velho Continente. Foram 12 triunfos da Europa contra times de outros continentes. São 15 europeus entre os 24 participantes do Mundial. E um domínio histórico inabalável.

Em 23 campeonatos mundiais, de 1938 até hoje, nunca um país de fora da Europa conquistou uma medalha na competição. Suécia, França e Romênia são os maiores campeões, com quatro títulos cada. Tunísia, em casa, em 2005, e Egito, em 2001, ficaram em quarto lugar, a melhor colocação dos "intrusos".

Neste momento, após cinco dias de Mundial, apenas dois dos 15 europeus não estão na zona de classificação de um dos quatro grupos: Belarus e República Tcheca.

O JOGO

A seleção brasileira não jogou tão bem quanto na derrota para a Espanha nem tão mal quanto na estreia contra o Qatar. Mas foi o suficiente para permanecer na frente da equipe de Belarus na maior parte do jogo.

Novamente o destaque brasileiro foi a defesa, apesar da melhora do ataque.

O primeiro gol do jogo só saiu aos 3min15, quando em contra-ataque Belarus abriu o placar.O Brasil marcou apenas com 4min50, com Chiuffa, em um tiro de 7 metros. E com o mesmo Chiuffa, o Brasil passou a liderar o placar a partir dos 12min do primeiro tempo, quando virou para 5 a 4.

O ponta da seleção era o destaque da partida. Lutava tanto que passou a sangrar, perto do cotovelo, após um pequeno corte. Escondeu com a munhequeira e seguiu no jogo.

Aos 15min do primeiro tempo, Chiuffa já tinha cinco dos oito gols do Brasil. Mas em seguida ele deixou o time e retornou apenas no fim do segundo tempo.

Pela primeira vez neste Mundial, o Brasil terminou um dos tempos na frente: 16 a 12. Com um rodízio muito grande entre os jogadores, o início do segundo tempo não foi dos melhores para a seleção.

Borges (artilheiro do jogo com nove gols), Chiuffa (com sete) e Valadão (com três) se destacaram no ataque enquanto Teixeira e Thiagus iam bem na defesa.

O Brasil só voltou a dominar a partida com tranquilidade após 15 minutos do segundo tempo, quando abriu 25 a 20.

E, até o apito final, jogou com a vontade de quem precisava da vitória para seguir sonhando com a sequência do Mundial.

Leia tudo sobre: brasilbelarusmundial do catargrupo a