'Barraqueiros do Mineirão' invadem Secretaria de Serviços Urbanos

Grupo exige retorno da atividade no entorno do estádio, que foi interrompida em 2010; barraqueiros querem ser reconhecidos como Patrimônio Cultural Imaterial de Minas Gerais

iG Minas Gerais | Da Redação |

Os "Barraqueiros do Mineirão" invadiram, na manhã desta segunda-feira (19), o prédio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, para exigir o retorno da feira de alimentos do Mineirão e a liberação da atividade para os 96 ambulantes, que, segundo a Associação de Barraqueiros da Área Externa do Mineirão (ABAEM), estão desde 2010, sem a principal fonte de renda. Os vendedores pedem uma licença especial para atuarem na região.

"Belo Horizonte é uma cidade que sempre valorizou a tradição das feiras, do futebol e da comida de boteco. Mas desde 2010, o Governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte, respondendo às exigências da FIFA, aniquilaram um dos espaços mais importantes para a cultura da cidade: as Barracas do Mineirão. Trata-se de atividade de geração de renda popular que, desde a década de 60, coloria o entorno do estádio de futebol com sabores e cheiros da tradicional comida mineira.

Os Barraqueiros do Mineirão, que com o seu saber e suor enriqueciam os espaços de lazer e cultura  da cidade, foram expulsos do seu local de trabalho. Tal violação de direitos desestruturou a vida econômica de mais de 150 famílias e até hoje nenhuma alternativa de trabalho ou compensação econômica foi assegurada pelo Estado de Minas Gerais ou pelas empresas do consórcio Minas Arena", afirmam em comunicado enviado à imprensa.

A intenção do grupo é permanecer no imóvel, na avenida Álvares Cabral, no centro da capital, até que a pauta de reivindicações seja discutida com algum representante da prefeitura. Seguem as demandas:

1) Exigimos que o edital de licitação do espaço pleiteado pelos barraqueiros não seja publicado e que seja respeitado o processo de negociação com os Barraqueiros do Mineirão.

2) Exigimos que sejam cumpridos os acordos firmados entre a PBH, o governo do Estado, as promotorias do Ministério Público e os Barraqueiros:

- Que os barraqueiros sejam reconhecidos como Patrimônio Cultural Imaterial de Minas Gerais.

- Que os 96 barraqueiros cadastrados retomarem a tradicional feira de alimentos do Mineirão em espaço reservado próximo às principais vias de acesso ao Estádio (localizadas na Avenidas C, na Avenida Abrãao Caran e na Avenida das Palmeiras).

- Que a garantia de retorno dos Barraqueiros do Mineirão seja por meio de um processo de licença especial, reconhecendo-se a especificidade dos Barraqueiros do Mineirão e a necessidade de reparação de direitos violados.

- Que a feira de alimento dos Barraqueiros do Mineirão seja montada em todos os dias de jogos e eventos culturais;

- Que o retorno dos barraqueiros do Mineirão se efetive antes do início do Campeonato Mineiro de 2015.

Leia tudo sobre: barraqueirosmineirãoinvasão