Hamas declara imoral apelação da UE para mantê-lo em lista terrorista

Justiça europeia havia cancelado no dia 17 de dezembro, por vício de forma, a inscrição do movimento palestino na lista da UE

iG Minas Gerais | AFP |

As bandeiras da União Europeia estão a meio mastro, após atentado terrorista na França
EMMANUEL DUNAND / AFP
As bandeiras da União Europeia estão a meio mastro, após atentado terrorista na França

O Hamas palestino classificou nesta segunda-feira (19) de ato imoral o recurso apresentado pela União Europeia contra a recente decisão da justiça de ordenar que este movimento islamita seja retirado da lista de organizações terroristas da UE.

"A obstinação da UE de querer inscrever o Hamas na lista de organizações terroristas é um ato imoral que reflete a parcialidade da UE em seu conjunto em favor do ocupante israelense e que oferece a ele uma cobertura para seus crimes contra o povo palestino", declarou à AFP Sami Abu Zuhri, porta-voz do Hamas em Gaza.

A União Europeia decidiu nesta segunda-feira (19) apelar da recente decisão da justiça europeia de retirar o Hamas da lista de organizações terroristas da UE.

A justiça europeia havia cancelado no dia 17 de dezembro, por vício de forma, a inscrição do movimento palestino na lista da UE, onde havia sido incluído em dezembro de 2001, após os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos.

O Hamas, que controla a Faixa de Gaza desde 2007, recorreu várias vezes contra sua inclusão nesta lista.