Dinheiro acima de tudo

iG Minas Gerais |

Não vejo motivo para tanto alvoroço em torno da ida de Tardelli do Atlético para a China, principalmente por causa do momento vivido pelos maiores clubes do futebol brasileiro. Diferentemente dos principais concorrentes do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, o Atlético entra no ano novo com o mesmo treinador e quase com o mesmo elenco, um dos melhores do ano que passou. Tardelli foi importantíssimo, prestou ótimos serviços ao clube, foi muito bem-remunerado para isso e saiu do jeito que quis: endinheirado, com prestígio e portas abertas, além de ter feito um contrato espetacular com os chineses, que vai acabar de lhe garantir um ótimo futuro, para ele e para a família. Com 30 anos de idade, era o momento certo de acabar de ficar milionário no último grande contrato da vida como jogador de futebol. Vida que segue! Só pecou ao usar o marketing pessoal invejável, nas redes sociais, para jogar a torcida contra a diretoria. Sabia que o Galo está apertado financeiramente em função do dinheiro retido pelo governo por causa da dívida fiscal, e que qualquer proposta de alguns milhões de euros provocaria sua liberação, apesar do contrato com duração de mais dois anos. E assim foi feito!

Sempre assim. Faca no peito do recém-empossado presidente Daniel Nepomuceno. Que se contentasse com 6 milhões da moeda europeia oferecidos pelos chineses e fim de papo. Caso não aceitasse; corpo mole, departamento médico e chinelo permanentemente, num prejuízo maior ainda técnico, financeiro e moral, já que o torcedor, cego pela paixão, sempre fica do lado do ídolo.

Feito em casa. Tecnicamente, Tardelli fará falta, até que Levir Culpi consiga encontrar um substituto. A aposta maior neste momento será em Dodô, da base, que além de ter mostrado brilhantismo nos jogos em que foi utilizado, tem o perfil familiar dos craques que o Atlético apresentou ao mundo nos anos 1970: humildade, dedicação e vontade de vencer na vida.

Feijão sem bicho. Caso se confirme, a contratação do uruguaio De Arrascaeta será a melhor entre todas as do futebol brasileiro até agora. De criatividade impressionante e 21 anos, é desses que valem a pena investir. Pode dar ótimos resultados técnicos ao Cruzeiro e ou um grande retorno financeiro,

Competência. Além do poderio financeiro em função da venda do Ricardo Goulart, o presidente Gilvan de Pinho Tavares contou com a experiência de Valdir Barbosa, ex-repórter que cobria o clube, hoje gerente de futebol. Enquanto todos pensávamos que ele estava falando ao vivo na Rádio Itatiaia, ele estava em Montevidéu oferecendo euros ao invés dos dólares do Inter.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave