Casal se afoga na serra do Cipó e homem morre neste domingo

Vítima, que não sabia nadar, estava abraçada com a esposa na beirada do rio quando deu um passo para trás e caiu em um buraco na água

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Um passeio em família quase terminou com três mortos, na tarde deste domingo (18), depois que um jovem de 20 anos que não sabia nadar caiu dentro do rio Cipó, em Santana do Riacho, na região Central do Estado, e acabou puxando sua esposa e um padrinho de casamento para a água. A mulher e o amigo foram socorridos com vida, porém, o rapaz acabou não resistindo e faleceu no lugar. 

Segundo as informações da Polícia Militar (PM) da cidade, que faz parte da serra do Cipó, o afogamento aconteceu por volta das 16h. Eduardo de Oliveira Reis, que vive em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, estava a passeio com a esposa, Josiane Alves Martins, de 19 anos, dois padrinhos de casamento e alguns familiares. 

Eles na beirada do rio Cipó, próximo da cachoeira do Tomé, abraçado com a esposa quando deu um passo para trás e caiu em um buraco dentro da água. Ele começou a se afogar e puxou a esposa para dentro da água. Um dos padrinhos que tentou ajudá-los também acabou caindo no interior do rio. 

O salva-vidas, que estava um pouco mais a frente no rio, veio nadando e conseguiu retirar os três de dentro da água. Foram feitos procedimentos de salvamento em Reis, mas, infelizmente, ele acabou não resistindo. A esposa da vítima foi socorrida ao Posto de Saúde do município, onde foi medicada e não corre risco de morte. 

Neste momento, os militares aguardam a chegada do rabecão para fazer a retirada do corpo. Ainda de acordo com a PM, há dois anos ninguém morria afogado nesta cachoeira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, desde o primeiro dia deste ano 25 pessoas já morreram afogadas em todo o Estado. Em 2014, durante todo o mês de janeiro o registro foi de 66 óbitos por afogamento.

14 mortes em oito dias

Entre os dias 10 e 18 de janeiro o Corpo de Bombeiros registrou o total de 14 mortes por afogamento em rios e lagos de Minas Gerais, cerca de duas pessoas por dia. Até este registro na Serra do Cipó, a última vítima a ter o corpo resgatado foi neste domingo (18) no rio Mucuri, em Carlos Chagas, no Vale do Jequitinhonha. 

Maria Rocha Brandão, de 34 anos, tentou atravessar o rio nesse sábado (17) por volta de 15h e acabou se afogando. O corpo foi localizado a cerca de 300 metros do local de afogamento às 11h deste domingo. Além dela, morreram afogados desde o dia 10 deste mês Alan Chaves Meira, de 16 anos, no rio Jequitinhonha em Almenara; Jurandir de Oliveira Junior, de 20 anos, que teve o corpo retirado do rio Grande, em Planura; Dhemerson Quiell da Cruz, de 32 anos, que se afogou na lagoa Santa Cruz em Betim; Willian Ferreira dos Santos, de 36 anos, que morreu quando nadava na lagoa Campo Azul, em Brasilândia de Minas; Fabíola da Silva Vital Resende, de 15 anos, que também nadava em um lago de Ituiutaba; e Marco Antônio Gonçalves Filgueira, de 14 anos, que se afogou no dia 8 deste mês no rio Doce, em Governador Valadares e só teve o corpo encontrado dois dias depois.

Também foram vítimas de afogamento os irmãos José Emílio Leite, de 35 anos e Luiz Carlos leite, de 34, que pularam na água do rio Pandeiros, em Januária, para salvar o sobrinho de 4 anos e acabaram se afogando - a criança foi salva por banhistas -; Roberto Barbosa de Souza, de 48 anos, que pescava quando resolveu se banhar no córrego dos Campinhos em Ubaporanga e acabou morrendo afogado; Fabrício de Souza, de 36 anos, que saltou a 30 metros de profundidade na lagoa do bairro Cidade Nova em Governador Valadares; Moacir Gaudino Augelino, de 61 anos, que se afogou na cachoeira de Macaúbas na MG-040 em Bonfim; Igor Douglas Santos Alves, de 19 anos, que teve o corpo retirado sob a ponte do rio São Francisco; altura do KM 498 da BR-262 em Moema; e Gledson de Paula Nogueira, de 15 anos, que se afogou no lago de um parque em Varginha.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a maioria das vítimas são pessoas que decidiram entrar na água para se refrescar do calor.