Após duas derrotas, armador diz que seleção precisa melhorar

O Brasil precisa vencer o próximo jogo para seguir sonhando com a vaga nas oitavas de final

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Com duas derrotas em dois jogos, contra os donos da casa (Qatar) e os atuais campeões mundiais (Espanha), a seleção brasileira precisa da vitória nesta segunda-feira (19), às 12h (de Brasília), contra Belarus, para continuar sonhando com a classificação para as oitavas de final.

Para o armador Thiagus, a tendência é que neste terceiro jogo o Brasil atue melhor do que nos dois anteriores.

"Precisamos achar nosso ponto ideal. Vir aqui ao Mundial é muito bonito, mas precisamos melhorar nosso rendimento", afirmou.

Mineiro de Juiz de Fora, o jogador de 25 anos visitou a loja oficial de produtos do Mundial no Duhail Sports Hall, em Doha, para comprar lembranças para os familiares após o treinamento deste domingo (18). Mas não encontrou nada que gostasse e acabou apenas brincando com uma peruca verde-e-amarela, que não serviu graças ao cabelo dele.

"Deixo crescer desde setembro de 2012 e ajuda no inverno. Quando cheguei na Europa, tinha o cabelo raspado", disse o armador, que joga no La Rioja, da Espanha.

Thiagus é um dos destaques na defesa brasileira, que já esteve melhor do que na estreia no jogo contra os espanhóis. Mas o ataque brasileiro ainda não rendeu o que os atletas e o técnico Jordi Ribera esperam.

"Não vamos melhorar de uma hora para outra", disse o técnico espanhol após o treino da tarde deste domingo (18). Nos dois primeiros jogos, o aproveitamento de arremessos dos brasileiros foi de 48%, muito baixo para alcançar uma vitória no handebol.

"Contra o Qatar faltou definir melhor, mas o goleiro (Saric) foi muito bem. Contra a Espanha, dificultamos bastante o ataque deles, o que deu mais possibilidades nos contra-ataques. Mas precisamos aproveitar", explicou Ribera.

Belarus, rival desta segunda (19), também perdeu as duas primeiras partidas no Mundial e precisa da vitória para não ficar sem chances de classificação.

Na quarta-feira (21), o Brasil encara a Eslovênia, líder após duas vitórias e melhor saldo de gols em relação à Espanha e Qatar. A decisão para os brasileiros é na sexta, contra o Chile, lanterna do Grupo A. Os quatro melhores passam de fase.

Se ganhar destes três rivais, os brasileiros avançam às oitavas de final. Se vencer dois jogos, pode depender da combinação de resultados.

 

Leia tudo sobre: handebolmasculinoseleçao brasileiraprecisamelhorarmundial