Pra comer rezando à beira-mar

Chefs criam pratos de cair o queixo em visual deslumbrante, com direito a mimos e até a ‘ajudinha’ internacional

iG Minas Gerais | Luciana Fróes |

Rocka. Restaurante dispõe de enormes camas pela grama e a areia para a clientela se estatelar
Divulgação
Rocka. Restaurante dispõe de enormes camas pela grama e a areia para a clientela se estatelar

biza? Esquece. A praia é a Brava, linda, e abriga uma infraestrutura gastronômica fantástica, à beira-mar, onde se come na areia, no mais fino esquema “farofeiro cinco estrelas”. O Rocka não é novo, mas os donos do lugar, o argentino e chef Gustavo Rinkevitch e Santiago Bebianno, colocaram a cozinha no chão e montaram uma nova completíssima, com infraestrutura de restaurante grande.

O chef Rinkevitch está servindo maravilhas, que vão de peixes, carnes e verduras defumados a sorvetes da casa, passando pelo ovo de baixa temperatura, os ceviches perfeitos, os lagostins lindamente apresentados , carpaccio de polvo com aioli e vinagrete de aipo e maçã.

Les pantagruels

É um festival de gastronomia que reúne grandes nomes da cozinha francesa. Durante dois fins de semana, um grupo estrelar de franceses cria pratos a partir de ingredientes adquiridos nos marchés buzianos. Não é bom? Mas o melhor de tudo é que, a cada edição, o Chez Françoise, o simpático restaurante da pousada, acaba herdando pratos assinados pelos seus ilustres convidados.

Neste ano, o menu engordou bonito, com o belo ravióli aberto de camarão com manga do chef Marc Meurin, duas estrelas Michelin com o seu Château de Beaulieu, um Relais & Châteaux montado num castelo do século XVIII, na cidade de Busnes, na fronteira da Bélgica. E com a releitura de um cheesecake genial, obra do chef pâtissier Philippe Brye, da velha guarda dos franceses que aportou no Rio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave