Um lugar ao sol

No verão, roteiro pela terra que encantou Brigitte Bardot, além da rua das Pedras

iG Minas Gerais | Luciana Fróes |

Balneário.Banhistas na praia do Forno
Fabio Rossi/Ag.O Globo
Balneário.Banhistas na praia do Forno

É para mergulhar de cabeça, com muito protetor solar e sem medo de ser feliz: acredite, Búzios nunca esteve tão bem provida de atrações e programas gostosos para desfrutar como nesse verão de 2015. Estamos na altíssima temporada do balneário, com transatlânticos (cada vez maiores) aportando e desembarcando turistas ávidos por desfrutar dessa cidade e sua paisagem lindíssima. Mas há sempre um lugarzinho, basta se organizar.

Durante a semana – e falo com conhecimento de causa e efeito – o movimento cai consideravelmente, e aí, sim, é doce o balanço a caminho do mar. Especialmente em direção a praias menos badaladas, como a bela praia do Forno, que não por acaso ganhou a capa dessa edição: uma pequena enseada de águas translúcidas, com grutas e piscinas naturais sob medida para mergulho, snorkel ou um simples dolce far niente. Só uma curiosidade: apesar do nome, a água é geladinha, viu? Há outras praias encantadoras (são 23 ao todo), como Caravelas, Tucuns, Lagoinha, da Foca, Olho de Boi, da Gorda...

Mas a estrela maior do verão buziano é a gastronomia, até então sem qualquer tradição ou atração. Já se comeu muito mal por ali, mas, felizmente, isso agora são águas passadas. Hoje há bons restaurantes em pontos variados da cidade, aliviando a barra (e tirando o foco) da frenética rua das Pedras.

Alguns são frutos de investimentos sólidos, como o protagonizado pelo casal francês Paul e Françoise Lindemann, do Le Relais La Borie, em Geribá, que há três anos teve a ideia de convidar chefs franceses estrelados para cozinhar no festival Pantagruel, em que criam pratos usando apenas matérias-primas locais.

E ainda repassam seus conhecimentos para os cozinheiros da região. Da edição passada do festival, alguns pratos foram parar no cardápio do restaurante Chez Françoise, instalado na pousada, aberto a todos, a qualquer dia, a qualquer hora.

O Porto da Barra, vizinho à Colônia dos Pescadores de Manguinhos, é outro bom exemplo da renovação por ali: uma empreitada de fôlego em 14 mil metros quadrados à beira-mar, só com atrações de qualidade. Bons restaurantes, bares, lojas, galerias de arte e um pôr do sol de cinema. Tudo junto, misturado e de cara para o mar. E quem acabou de aportar na área foi o chef Santos, um mestre nos sabores lusos, no comando da A Tasca. Uma adesão de peso e valor.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave