Advogados explicam declaração de pobreza de Leandro Damião

Jogador possui o maior salário do atual elenco doSantos, aproximadamente R$ 650 mil mensais; documento seria praxe no âmbito trabalhista

iG Minas Gerais | da redação |

Leandro Damião almeja romper seu vínculo com o clube santista
Washington Alves/VIPCOMM
Leandro Damião almeja romper seu vínculo com o clube santista

Os advogados do atacante Leandro Damião divulgaram um comunicado explicando a declaração de pobreza do jogador anexada à ação judicial movida contra o Santos.  Segundo os representantes do atleta, o documento é praxe no âmbito trabalhista.

“É um instrumento jurídico utilizado com a intenção de minimizar os danos ao atleta que já são consideráveis em decorrência dos atrasos salariais", diz o comunicado.

"Esta alternativa, que destacamos novamente, não partiu do atleta e sim do seu corpo jurídico, nunca teve como finalidade comover a autoridade judiciária de que o jogador Leandro Damião estava “pobre” por não receber vários meses de salário", completa.

Damião busca a rescisão de seu contrato com a equipe praiana, decisão já conquistada pelo ex-companheiro chileno Eugenio Mena. Arouca e Aranha são os outros atletas que entraram na Justiça contra o Peixe.  Por conta da declaração de Damião, o Santos informou que acionaria a Polícia Federal para apurar a possibilidade de crime de falsidade ideológica.

Abaixo, a íntegra do comunicado dos advogados de Damião:

Em atenção às notícias veiculadas recentemente sobre a “Declaração de Pobreza” anexada ao processo trabalhista do jogador Leandro Damião contra o Santos Futebol Clube, a equipe de advogados do atleta e que trabalha no referido processo vem por meio desta esclarecer:

1. A declaração nada mais é que um instrumento jurídico utilizado com a intenção de minimizar os danos ao atleta que já são consideráveis em decorrência dos atrasos salariais. A orientação, portanto, para proceder dessa maneira foi de responsabilidade totalmente dos advogados e não do atleta, eis que se trata de uma praxe no âmbito trabalhista.

2. Esta alternativa, que destacamos novamente, não partiu do atleta e sim do seu corpo jurídico, nunca teve como finalidade comover a autoridade judiciária de que o jogador Leandro Damião estava “pobre” por não receber vários meses de salário, inclusive, importa destacar que nosso cliente certamente sabe o que é ser pobre, através da sua infância e não quis passar tal ideia.

3. Cabe destacar que o atleta Leandro Damião sempre cumpriu com suas obrigações contratuais e mesmo com salários atrasados jamais manifestou, sob qualquer circunstância, opinião ou menção sobre este e outros problemas internos do clube. Manteve-se calado e trabalhando normalmente.

4. Preocupa-nos o fato que estas informações estão sobrepondo-se a um problema grave e que está corroendo a credibilidade e a qualidade do futebol brasileiro. O não pagamento de salários aos atletas por parte de alguns clubes é um problema que se debruça em relação ao esporte que é paixão nacional e é um descumprimento escancarado da legislação trabalhista e desportiva. Querer sobrepor uma declaração com finalidade meramente jurídica a um problema dessa envergadura é querer tirar o foco de um dos maiores problemas do futebol brasileiro.

5. Por fim, como advogados não compactuamos com o litígio público que se instaurou, certamente com a tentativa de desvirtuar o mérito da causa.

É o que cabia para o momento,

Atenciosamente,

KRF ADVOCACIA E CONSULTORIA