Charlie Hebdo aumenta tiragem para 7 milhões de exemplares

Publicações serão vendidas em etapas nos próximos dois meses

iG Minas Gerais | Agência Brasil |

Pessoas fazem homenagens às vítimas do atentado a Charlie Hebdo, no Palácio dos Festivais, em Cannes
Valery Hache/AFP
Pessoas fazem homenagens às vítimas do atentado a Charlie Hebdo, no Palácio dos Festivais, em Cannes

O semanário francês Charlie Hebdo anunciou hoje (17) que vai aumentar novamente a tiragem, de 5 milhões para 7 milhões de exemplares, do número editado após os atentados jihadistas  da semana passada em Paris.

Esses exemplares vão ser vendidos em etapas, nos próximos dois meses, junto com a edição impressa. O semanário está promovendo outras iniciativas.O jornal, cuja tiragem habitual é 60 mil, disponibilizou inicialmente 3 milhões de exemplares dessa edição, número que foi posteriormente aumentado para 5 milhões.

Na página na internet, as pessoas podem fazer uma assinatura do jornal, fazer uma doação ou subscrever uma aplicação que permite ler o último número do jornal no smartphone.

A primeira edição após os atentados tem na capa uma caricatura de Maomé, com uma lágrima, segurando uma folha com a frase “Je suis Charlie”, a mesma que tem sido utilizada por milhões de pessoas em todo o mundo em defesa da liberdade de expressão.

A sede em Paris do Charlie Hebdo foi atacada no dia 7 de janeiro pelos irmãos Chérif e Said Kouachi, dois jihadistas franceses, que mataram 12 pessoas, incluindo cinco caricaturistas, entre eles o diretor do jornal Stéphane Charbonnier.

Leia tudo sobre: atentadoParisEuropaCharlie Hbdo