Ciclistas têm que exigir seus direitos nas ruas

Vinícius Silva acredita que o comportamento dos motoristas irá mudar a partir da tomada das ruas pelos ciclistas

iG Minas Gerais | Bernardo Miranda e Natália Oliveira |

Uma bicicleta em processo de adequação
LINCON ZARBIETTI
Uma bicicleta em processo de adequação

“Na dúvida entre casar ou comprar um bicicleta, eu acabei casando com uma bike”. A frase do redator Arthur Lobão, de 22 anos, foi dita minutos depois de receber seu novo veículo, feito sob encomenda, com peças de colecionadores e que lembra as bicicletas dos anos 1950. Cada detalhe foi escolhido por ele que além de ganhar uma bicicleta funcional agora tem um modelo exclusivo.

“É bem melhor você fazer a sua própria bicicleta, que atenda as suas necessidades. Vale a pena o investimento e mostra que é possível conciliar um modelo funcional com beleza”, explica. Porém, apesar de toda a paixão pelo ciclismo, Arthur ainda não venceu uma barreira, o medo de usar a bicicleta como meio de transporte no dia a dia.

“Já tentei vir trabalhar. Moro na Pampulha e trabalho na Savassi, na primeira vez que fiz o trajeto, um ônibus quase me jogou do viaduto. Os motoristas não têm respeito com o ciclista e ainda falta infraestrutura voltada para as bicicletas”, reclama.

Veja nosso mini documentário no Atetier Bicicine

O empresário Vinícius Túlio da Silva, de 33 anos, enfrenta o trânsito e percorre oito quilômetros todos os dias até o trabalho. Ele acredita que se cada vez houve mais ciclistas na rua o comportamento dos motoristas irá mudar.

“Eu vou para a rua e enfrento o carro, imponho os meus direitos. Os motoristas têm que ter compreensão que quando eles vão para a rua eles tem poucos direitos e muito deveres e quem diz é o Código de Trânsito Brasileiro”, diz. 

Mapa dos amantes de bicicleta

Neste sábado (16), começamos a montar também o nosso "Mapa dos amantes de bicicleta". O primeiro ponto é o Atelier Bicicine e, durante as semanas, vamos acrescentando mais dicas e locais apresentados pela nossa reportagem. Gostaríamos também da sua contribuição. Indique-nos onde há bicicletários, oficinas de bicicleta e outros detalhes deste mundo.

Basta enviar um e-mail para portal@otempo.com.br, enviar mensagens por inbox no nosso perfil do Facebook ou mesmo mandar uma mensagem pelo nosso Whatsapp no número (31) 9827-4455.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave