Arábia Saudita realiza sua décima decapitação do ano

Em 2014, a Arábia Saudita executou 87 pessoas condenadas à morte. Em 2013 foram 78

iG Minas Gerais | AFP |

Um saudita condenado por matar a tiros um compatriota foi decapitado nesta sexta-feira na Arábia Saudita, informou o ministério do Interior, o que eleva a dez o número de execuções realizadas em apenas duas semanas.

Murdi al-Shakra foi condenado por atirar com uma arma automática contra outro membro de sua tribo, Faraj al-Shakra, segundo indicou o ministério em comunicado divulgado pela agência Spa.

Esta decapitação ocorre no momento em que Riade decidiu adiar, por "razões médicas", a flagelação do blogueiro saudita Raef Badawi, agendada para esta sexta-feira.

Badawi, condenado por "insultar o Islã", foi condenado no dia 9 de janeiro as suas primeiras 50 chicotadas de uma sentença de 1.000 golpes, distribuídos por 20 semanas.

Seu caso provocou um clamor internacional e chamou a atenção para a rigidez com que o reino ultraconservador aplica a sharia, a lei islâmica.

Em 2014, a Arábia Saudita executou 87 pessoas condenadas à morte. Em 2013 foram 78, de acordo com contas da AFP.

Segundo um relatório da Anistia Internacional, o reino realizou o terceiro maior número de execuções no mundo em 2014, atrás do Irã e do Iraque.

Estupro, assassinato, apostasia, assalto à mão armada e tráfico de drogas são puníveis com a morte no reino.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave