Aspirina pode ser nova medida de prevenção ao câncer até 2050

Pesquisa diz que uma dose baixa de Ácido Acetilsalicílico (AAS) por dia pode ajudar reduz riscos de câncer, ataques cardíacos e derrames; entenda

iG Minas Gerais | GUILHERME ÁVILA |

Pesquisadores estimam que até 2050 as mortes causadas ao câncer serão evitáveis com Aspirina AAS
Reprodução
Pesquisadores estimam que até 2050 as mortes causadas ao câncer serão evitáveis com Aspirina AAS
Um estudo recente da University College London, na Inglaterra, comprovou que tomar uma aspirina por dia é a ação mais eficaz para proteger os idosos contra o câncer. Os pesquisadores mostraram que doses baixas diárias de Ácido Acetilsalicílico (AAS), administradas por dez anos, podem reduzir os riscos dessa doença, além de ajudar a prevenir ataques cardíacos e derrames. Seguindo essa ideia, um dos responsáveis pelo estudo apontou que até 2050 o câncer não será mais fatal entre pessoas com menos de 80 anos. Desde a década de 1990, as mortes por câncer de pessoas com idades entre 50 e 65 anos, diminuiu 20%.   A pesquisa mostrou que as aspirinas salvam, hoje, cerca de 17 pessoas para cada morte que o câncer causa. "A aspirina sozinha, como única medida de prevenção, não é a recomendação ideal. Pessoas que correm o risco de sangramentos devem recorrer ao seu médico de confiança antes de adotar essa medida", destaca o pesquisador Jack Cuzick. Para ele, além do consumo de 75mg diário da pílula deve ser associado a não fumar e manter o peso ideal para prevenir, de fato, a incidência do câncer.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave