Protesto contra nova capa de 'Charlie Hebdo' deixa três feridos

Confronto se deu quando os participantes do protesto foram impedidos de chegar ao consulado da França em Karachi, cidade mais populosa do país

iG Minas Gerais | AFP |

Ao menos três pessoas ficaram feridas durante confronto entre a polícia e manifestantes que protestavam contra a nova capa do "Charlie Hebdo" em Karachi, cidade mais populosa do Paquistão. As informações são da imprensa local.

O confronto se deu quando os participantes do protesto foram impedidos de chegar ao consulado da França na cidade. A polícia chegou a efetuar disparos para o alto, segundo o jornal paquistanês "Dawn".

Um dos feridos seria um fotógrafo da agência de notícias francesa AFP. "O fotógrafo Asif Hasan, da AFP, foi ferido por tiros disparados por manifestantes. A polícia não atirou", disse Abdul Khallique Shaikh, policial da cidade.

A marcha fazia parte dos atos organizados em várias cidades do país por mais de vinte organizações aglutinadas num grupo denominado Tehreek Hurmat-i-Rasool. Um porta-voz das organizações havia pedido a unidade do mundo islâmico contra o que qualificou como "blasfêmia" contra os muçulmanos.

O primeiro-ministro do país, Nawaz Sharif, e o Parlamento paquistanês condenaram na quinta (15) a publicação das caricaturas.

O Paquistão é uma república islâmica e conta com a segunda maior população muçulmana do mundo, atrás apenas da Indonésia. Cerca de 97% de seus 180 milhões de habitantes seguem a religião.

O 'Charlie Hebdo', em seu primeiro número após o atentado que deixou 12 mortos em sua sede, publicou uma caricatura de Maomé chorando e segurando um cartaz com o lema solidário "je suis Charlie" (eu sou Charlie), que foi usado em apoio ao semanário após os ataques, sob o título de "tudo está perdoado".