Professora convidada analisa redação de candidato notal mil no Enem

Especialista no assunto, a professora Ana Carmelita Silva faz uma análise sobre o texto do candidato que fechou a redação, considerando as competências de avaliação do teste

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA/ FELIPE CASTANHEIRA |

A professora e advogada Ana Carmelita Silva, que também ministra aulas de redação e português em um curso preparatório para o Enem em Belo Horizonte, foi convidada pela reportagem a analisar e avaliar a redação do estudante Rafael Alves de Abreu, de 23 anos, morador do bairro Coração Eucarístico, que tirou a nota máxima na redação da última edição do Enem.

Para ela, a nota atribuída ao candidato foi coerente com a proposição feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep) no Guia do Participante. Mas faz uma ressalva: "Poderíamos, talvez, descontar alguns pontos no uso da gramática normativa e na legibilidade da letra do texto".

Considerando as cinco competências de avaliação dos candidatos (norma culta, estrutura e tema, informatividade e coerência, coesão, proposta de intervenção), a professora entende que a nota dada ao aluno foi justa.

"Ao avaliarmos o uso da norma padrão (gramática do português), notamos alguns desvios como a ausência do hífen em econômico financeiro, ou a ausência da vírgula no final da linha 9. Entretanto, são desvios considerados de baixa gravidade e não têm reincidência ao longo do texto, o que permitiria ao corretor relevá-los, por o objetivo é verificar se o candidato domina as regras gramaticais e isso foi demonstrado", explica Silva.

Ela também ressalta que a estrutura dissertativo-argumentativa foi obedecida. "A introdução apresenta tese. O desenvolvimento, informações que corrobora e a conclusão, uma solução (proposta de intervenção) para o problema da propaganda direcionada ao público infantil. Além disso, o texto é conexo com o tema proposto pela prova do Enem 2014. O candidato demonstra, nas informações compartilhadas, que seu conhecimento extrapola o que foi mencionado nos textos motivadores. Ao mencionar a propaganda das tesouras Mundial, há evidências de que ele possui conhecimento de mundo importante sobre o assunto e o utiliza de maneira coerente e objetiva", analisa.

Além disso, a professora considera que ao longo do texto o candidato faz uso de pronomes e outras formas de retomada sem repetir palavras. "Assim, como o texto está articulado e sequenciado, a boa avaliação nesse domínio fica justificada".

Intervenção

"Quanto a sua proposta de intervenção, o candidato faz uso de uma proposição interessante, que equilibra a necessidade de uma regulamentação com a igualmente importante formação do cidadão crítico. Isso descaracteriza do texto uma possível interpretação de 'censura', ligada à 'proibição parcial' exposta. A solução apontada tem conexão com a tese, é clara, objetiva, exequível e específica, conforme estipulado  pelo Guia", diz ainda a professora.

Ela conclui que a nota poderia até oscilar, mas não muito, já que o candidato atendeu ao que foi demandado. 

Leia a redação:

FOTO: Arquivo pessoal Aluno nota mil usou conhecimento do dia a dia na redação   

 

Leia tudo sobre: coração eucarísticoenemredaçãonota milcandidatotesteavaliaçãoanáliseprofessoraportuguêstexto